MC Guimê refaz ‘tabelinha’ com Emicida em disco ao vivo no qual funkeiro revisa dez anos de carreira


♪ Em 9 de maio, MC Guimê fez live com roteiro retrospectivo que abrangeu músicas lançadas pelo funkeiro paulista ao longo dos dez anos de carreira iniciada oficialmente em 2010.
Um dos maiores sucessos da trajetória de Guilherme Aparecido Dantas, nome com o qual Guimê foi batizado ao nascer em 10 de novembro de 1992, o funk pop País do futebol – parceria do artista com o rapper paulistano Emicida feita em homenagem ao jogador de futebol Neymar Jr. – evidentemente entrou no roteiro da live transformada pelo funkeiro paulista no álbum Em casa com MC Guimê.
No disco, o artista refaz a tabelinha com Emicida em País do futebol com a inserção virtual do rap da gravação original – apresentada em novembro de 2013 com repercussão imediata – no registro ao vivo da música reciclada na live.
Lançado na sexta-feira, 21 de agosto, o disco Em casa com MC Guimê é caracterizado como EP, mas contabiliza 10 músicas em oito faixas.
Plaquê de 100 (MC Guimê, 2012) e Na garupa da meiota (Bevick e MC Guimê, 2020) – música recente, lançada em single em 7 de fevereiro – integram o repertório do disco originado da live.
Hit autoral que anunciou a marca do funk ostentação, característica do som de MC Guimê, Tá patrão (2011) também figura obviamente no disco Em casa com MC Guimê em registro mais próximo da gravação original do que da reciclagem feita em 2017 no single Tá patrão 2.0, feito com a colaboração de convidados como KL Jay, DJ do grupo paulista Racionais MC’s.