Matuê dá o sangue para ‘vampirizar’ ouvintes para o inédito single ‘Quer voar’


Trapper cita parceria de Emicida e Rael na música promovida com controvertida ação de marketing. ♪ Em controvertida ação de marketing para divulgar o single Quer voar, o trapper cearense Matuê surgiu caracterizado como vampiro nas redes sociais do artista, retirando o próprio sangue, armazenado em pequenos frascos, usados como pingentes para colares.
Postos à venda no site do artista, os colares de sangue tinham como preço a alma dos compradores, em campanha publicitária reforçada com painéis digitais expostos em todo o Brasil com a imagem de Matuê de cabeça para baixo e com os dizeres “vendo sangue, compro almas”.
A agressiva ação de marketing gerou reação similar de haters. Matheus Brasileiro Aguiar chegou a sofrer ameaças de morte, mas manteve a estratégia de divulgação da nova música, com o apoio da agência 30praum e da Sony Music, gravadora que pôs o single Quer voar em rotação na noite de terça-feira, 10 de agosto.
Capa do single ‘Quer voar’, de Matuê
Divulgação
Primeiro single inédito de Matuê desde a edição do álbum Máquina do tempo (2020), lançado em 10 de setembro do ano passado, Quer voar apresenta música de autoria atribuída aos compositores Grou, Lorentz, Palace e Quantich, sendo que os três últimos também são creditados como produtores musicais da gravação de Matuê, artista nascido em Fortaleza (CE), em outubro de 1993, mas criado em Oakland, na Califórnia (EUA).
Detalhe: Matuê cita no single Quer voar trechos da letra do rap Beira da piscina (2010), parceria de Emicida com Rael (então conhecido como Rael da Rima), lançada por Emicida há onze anos na mixtape Emicídio (2010).