Maternidade Therezinha de Jesus enfrenta dificuldades para abrir novos leitos de UTI Neonatal em Juiz de Fora


Documentos para abertura de novos leitos foram enviados para a SES-MG. Estado afirmou que sugeriu à unidade a abertura de outros tipos de UTI que não existem na cidade.  Maternidade tem 10 leitos de UTI neonatal e afirma que capaidade não comporta a demanda de Juiz de Fora
Reprodução/TV Morena
A Maternidade Therezinha de Jesus, em Juiz de Fora, enfrenta dificuldades para atender as demandas de casos de bebês que precisam de cuidados na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Neonatal. Em 2017 foram realizados 2.396 partos e, destes, 1.464 foram de alto risco. Para atender a essa demanda, há 10 leitos na unidade.
Uma segunda UTI Neonatal foi criada há três anos com investimentos do próprio hospital, um total de R$1,5 milhões, mas falta o credenciamento do Ministério da Saúde para começar a atender. Mas antes é necessária autorização da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG).
O Hospital afirma que a documentação para a abertura de novos leitos foi enviada ano passado para a SES-MG, comprovando a necessidade de mais leitos. Ainda de acordo com a Maternidade, a taxa média de ocupação neonatal é de 107% ao mês. Isso significa que toda a capacitade é ocupada, porém, outros leitos são improvisados para comportar toda a demanda. Nos meses de fevereiro e abril do ano passado a situação foi ainda mais crítica, com quase 140% de ocupação.
Em nota, a SES-MG informou que para a região são necessários 38 leitos UTI neonatal, 38 leitos nas unidades de cuidados intermediários convencional e outros 19 leitos canguru. O órgão disse que, de acordo com as informações do Cadastro Nacional de Estabelecimento de Saúde, o número de Neonatais são suficientes, já que a cidade conta com 57 leitos.
Ainda segundo a Secretaria, o cadastro apontou a necessidade é de outros tipos de leitos e sugeriu à maternidade a abertura dos que estão em falta.

Powered by WPeMatico