Mamãe panda aguarda para dar à luz no zoológico de Washington


O Smithsonian’s National Zoo divulgou nesta segunda o exame de ultrassom que mostra o filhote; a panda foi inseminada em março e já tem três filhotes. Panda Mei Xiang tira soneca no zoológico de Washington.
Kevin Lamarque/Reuters
A panda Mei Xiang está grávida e vai dar à luz nos próximos dias, anunciou o zoológico de Washington, nos Estados Unidos, nesta segunda-feira (17) após a realização de um ultrassom que revelou que o bebê está crescendo saudável. “Patas cruzadas!”, disse o zoológico no Twitter.
Segundo a publicação, veterinários “viram movimentos promissores durante o ultrassom da panda gigante Mei Xiang”, constatando que “seu feto estava chutando e nadando no líquido amniótico, e a coluna vertebral e o fluxo sanguíneo eram visíveis”. “Esperamos ter um bebê saudável nos próximos dias!”, afirmou o Smithsonian’s National Zoo.
Initial plugin text
A fêmea Mei Xiang, de 22 anos, foi inseminada artificialmente em 22 de março com sêmen congelado do macho Tian Tian, que também vive no zoológico e fará 23 anos no fim do mês.
O espaço dos pandas está atualmente fechado para visitantes para proporcionar a Mei Xiang a calma necessária, mas uma “câmera panda” disponível no site do zoológico registra tudo 24 horas por dia.
Os pandas se tornaram um instrumento da diplomacia chinesa, que usa o empréstimo desses mamíferos a zoológicos como forma de estreitar seus laços com outros países. O anúncio ocorre em meio a tensões crescentes entre Washington e Pequim.
Desde sua chegada em 2000, Mei Xiang já teve três filhotes sobreviventes: dois machos (Tai Shan, em 2005, e Bei Bei, em 2015) e uma fêmea (Bao Bao, em 2013). Todos foram levados para a China em seu quarto aniversário, sob o contrato de parceria com o centro de conservação chinês. O retorno de Mei Xiang e Tian Tian à China está previsto para dezembro.
Panda Mei Xiang passou cinco vezes por gravidez psicológica até ter um filhote, que morreu neste domingo
Susan Walsh/AP
O acordo entre os Estados Unidos e a China também prevê o pagamento de 500 mil dólares por ano ao zoológico nacional para apoiar os esforços chineses de conservação desta espécie classificada como “vulnerável”.
Menos de 2 mil pandas gigantes ainda vivem em seu habitat natural na China, enquanto outros 600 vivem em zoológicos e centros de reprodução em todo o mundo, de acordo com o zoológico de Washington.
Com uma herança genética semelhante à do urso, o panda se alimenta exclusivamente de bambu. Ele tem seis dedos em cada pata, pesa em média 100 quilos e mede até 1,80 metros. Seu nome na língua chinesa pode ser traduzido literalmente como “urso-gato”.