‘Mais valiosa obra de arte asiática’, pintura de Xu Beihong vai à leilão com expectativa de venda de US$ 58 milhões


Pintura de atista considerado uma das figuras mais importantes do realismo chinês será leiloada em Hong Kong no dia 24 de maio pela Christie’s. Jornalista fotografa quadro “Escravo e Leão”, que deve obter algo entre US$ 45 milhões e US$ 58 milhões em leilão da Christie’s
REUTERS/Joyce Zhou
A casa de leilões Christie’s revelou nesta segunda-feira (19) o que qualificou como a “mais valiosa obra de arte asiática” a ser posta à venda, uma pintura de Xu Beihong chamada “Escravo e Leão”, que deve obter algo entre US$ 45 milhões e US$ 58 milhões (R$ 249,5 milhões e R$ 321,6 milhões).
A pintura de 1924 de Xu, considerado uma das figuras mais importantes do realismo chinês, será exposta ao público em Pequim e Xangai neste mês e leiloada em Hong Kong no dia 24 de maio.
A obra foi vendida pela Christie’s no polo financeiro global em 2006 por US$ 6,9 milhões, à época um recorde para uma pintura a óleo chinesa.
“O mercado no topo é muito forte; (há) muita procura, extremamente impulsionada por raridades, que é exatamente o caso desta obra”, disse o presidente da Christie’s na região Ásia-Pacífico, Francis Belin.
A história por trás da pintura tem suas raízes na mitologia romana, de acordo com a apresentação da Christie’s.
Um escravo em fuga foi capturado e, como punição, atirado no Coliseu com um leão — mas o animal não atacou o escravo, que antes havia retirado um espinho de sua pata. O escravo e o leão acabaram sendo libertados.