Mais de 130 focas nasceram em rio considerado ‘morto’ no passado

Rio considerado morto biologicamente em 1950, agora abriga mais de 100 espécies de peixes

Rio considerado morto biologicamente em 1950, agora abriga mais de 100 espécies de peixes

Reprodução/ ZSL

Cerca de 138 filhotes de focas nasceram no rio Tâmisa, na Inglaterra em 2018, segundo informações da ZLS (Sociedade Zoológica de Londres). O caso surpreendeu porque o local foi considerado ‘morto biologicamente’, na década de 1950, por ser extremamente poluído.

“Ficamos emocionados em contar 138 filhotes nascidos em uma única temporada. As focas não seriam capazes de se reproduzir aqui sem uma fonte confiável de alimentos, portanto isso demonstra que o ecossistema do Tâmisa está prosperando e mostra até onde chegamos desde que o rio foi declarado biologicamente morto na década de 1950.”, disse a bióloga Thea Cox em um comunicado da ZLS.

A ZSL confirma que a população de focas está crescendo no rio Tâmisa, mas ainda não se sabe o porquê, se é devido as focas residentes terem procriado ou a chegada de focas adultas de outras colônias. Por isso, no ano passado, decidiram pesquisar sobre a reprodução filhotes. As imagens foram feitas de um avião para não incomodar os animais.

O local não abrigava vida marinha desde 1957, agora, segundo a gerente de projeto, Anna Cucknell, que lidera a conservação do Tâmisa, explicou: a ‘Mãe Tâmisa’ restaurada – como a chamamos – é um habitat essencial para o berçário e abriga muitos animais, incluindo mais de 100 espécies de peixes, incluindo duas espécies de tubarão, cavalos-marinhos de focinho curto e a enguia europeia criticamente ameaçada.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Pablo Marques