Mais de 100 líderes globais prometem acabar com desmatamento até 2030

Compromisso foi apoiado por países incluindo Brasil, China, Estados Unidos, Indonésia e a República Democrática do Congo, e reúne nações que representam coletivamente 86% das florestas do planeta. Mais de 100 líderes mundiais se comprometeram, na noite desta segunda-feira (1), a interromper e reverter o desmatamento e a degradação de terras até o fim desta década, informou o governo do Reino Unido, que preside a COP26 em Glasgow, na Escócia.
O compromisso foi apoiado por líderes de países incluindo Brasil, China, Estados Unidos, Indonésia e a República Democrática do Congo, reunindo nações que representam coletivamente 86% das florestas do planeta. Confira aqui a lista de países.
“Mais de 100 líderes, representando mais de 86% das florestas do mundo, se comprometeram a trabalhar juntos para deter e reverter a perda florestal e a degradação da terra até 2030 na Declaração dos Líderes de Glasgow sobre Florestas e Uso da Terra”, informou o governo do Reino Unido
“Teremos a chance de encerrar a longa história da humanidade como conquistadora da natureza, e ao invés disso, nos tornamos seus guardiões”, afirmou Johnson, que classificou o acordo como inédito, destaca a agência Reuters, embora a data de 2030 estabelecida seja considerada distante demais por ativistas climáticos que exigem ações urgentes para salvar as áreas verdes do planeta.
Uma série de iniciativas governamentais e privadas adicionais foram lançadas nesta segunda-feira para ajudar a chegar ao objetivo, incluindo bilhões prometidos para guardiões indígenas da floresta e para iniciativas de agricultura sustentável. 
As florestas absorvem cerca de 30% das emissões de dióxido de carbono, de acordo com a organização não governamental World Resource Institute (WRI). As florestas capturam as emissões da atmosfera e previnem que elas causem o aquecimento do clima.
Ainda assim, a proteção natural climática está desaparecendo rapidamente. O planeta perdeu 258 mil quilômetros quadrados de floresta em 2020, de acordo com a iniciativa de acompanhamento do desmatamento do WRI, a Global Forest Watch. A área é maior do que o Reino Unido.
Países prometem reverter desmatamento até o fim da década, e mais ricos vão bancar iniciativa