Lúcio Mauro Filho fala sobre quarentena com três filhos: ‘Eles amadureceram muito’


Dira Paes e Vivianne Pasmanter também relatam experiência com estudos de crianças e adolescentes no período em que estão longe das escolas. Lúcio Mauro Filho com a família
Reprodução/Instagram
Com a quarentena, muitos pais se tornaram também professores de seus filhos, que estão longe das escolas fisicamente. Além de ajudar com o material didático on-line, também precisam auxiliar no cronograma de estudo e, claro, com as angústias trazidas pela quarentena.
Durante uma entrevista com jornalistas por teleconferência, Dira Paes, Lúcio Mauro Filho e Vivianne Pasmanter compartilharam suas experiências e falaram sobre as dificuldade e prazeres desse período.
Mãe de Inacio, de 12 anos, e Martim, de 4, Dira Paes foi direta ao falar sobre o assunto: “Não tem sido fácil”.
“Porque as idades são diferentes. O Inácio tem 12 anos e tem uma capacidade muito grande de se organizar. Pra ele é quase só um apoio de ajudar a montar esquema de estudos, programar seus horários e tirar dúvidas. Agora, pro Martim, realmente tem sido um desafio, tanto pra escola quando pra gente.”
“Ele já não gosta dessa presença de aula através do computador, mas a gente tem conseguido fazer com que de outras formas ele acompanhe de alguma maneira o que está sendo proposto pela escola e tem alguns encontros com a turma virtualmente.”
“Então estou sentindo que com o Martim, realmente, a gente assumiu o papel da escola. Não é fácil, porque a escola também está tentando aprender como lidar com os pequenos.”
Descobertas
Apesar da dificuldade na adaptação, Dira compartilhou o momento de descobertas das letras pelo caçula.
“Foi muito bonito nesse período pequeno ver o Martim descobrindo algumas letras em alguns lugares que ele nunca tinha prestado atenção. Então a gente vê que isso funciona.”
Dira acredita que os desafios sejam maiores para quem tem filhos adolescentes.
Dira Paes com o marido, Pablo, e os filhos Inácio e Bento
Reprodução/Instagram
Mãe de Eduardo, de 17 anos e Lara, de 15, Vivianne Pasmanter cita que a parte de estudos está mais tranquila, pois os filhos já são mais independentes.
“Nesse sentido, eles se viram super bem, se adaptaram. Para meu filho, talvez seja mais difícil, porque ele entrou na faculdade e, assim que entrou, já começou essa coisa on-line. E é uma grande mudança entre escola e faculdade, mas está na mão dele. Não cabe mais a mim ficar ali do lado”, explica a atriz.
Para Vivianne, a maior dificuldade para os adolescentes está em mantê-los em casa.
“É mais difícil segurar em casa. Quer sair, curtir os amigos. Nesse ponto, o sofrimento está maior.”
“Tenho muito amigo que tem filho menor e estão falando que é a melhor época da vida dos filhos, que estão felizes da vida que estão com a mãe 24h. No meu caso, o contrário, eles estão bem tristes de estarem com a mãe 24 horas”, declara Vivianne aos risos.
Mais velhos ajudando os mais novos
Pai de Bento, de 17 anos, Luiza, de 15, e Liz, de 2 anos e meio, Lucio Mauro Filho diz não estar enfrentando dificuldades neste período com os filhos.
O ator conta que, por sonharem com a irmã mais nova desde quando eram pequenos, Bento e Luiza são praticamente “segundo pai e segunda mãe de Liz”.
“Eles tomaram isso como uma missão e chegou ao cúmulo de eles fazerem o curso na maternidade pra trocar fraldas, dar banho em bebê. Eles ajudam de uma forma comovente”, elogia Lúcio.
“Eles amadureceram muito. Então de alguma maneira, eles suprem esse papel do professor da Liz. Isso está ajudando muito a bebê. Todo mundo lê uma história uma hora, a gente corta o tapetinho que tem letra, cor. Foi muito natural pra gente assumir o papel da escola dela porque a gente e eles já fazíamos isso naturalmente.”
Ele conta que Liz também tem curtido bastante a presença do pai em casa, após o ator se envolver em uma série de projetos em sequência.
“Minha bebê está adorando, está vendo pela primeira vez o dia inteiro dentro de casa. Ela nasceu na ‘Malhação’, depois veio ‘Bom Sucesso’, nesse momento, papai escreveu o musical dos ‘Novos Baianos’. Papai é workaholic, que trabalha muito, às vezes de domingo a domingo.”
Para ele, quem está sentindo mais dificuldade com o período são os filhos mais velhos. Embora se ajudem e sejam muito parceiros, Bento e Luiza estavam entrando em uma nova fase. “Eles estavam começando a tomar autonomia.”
“Eles experimentaram o primeiro carnaval deles, foram aos primeiros blocos, parece que foi uma despedida antes da quarentena.”