Lucas Vasconcellos celebra disco icônico de George Harrison na capa do álbum ‘Teoria da terra plena’


♪ Há cerca de 20 anos, Lucas Vasconcellos dava os primeiros passos profissionais na carreira musical quando foi presenteado por Ronaldo Marinho, psicanalista do artista, com o disco All things must pass (1970), terceiro e mais emblemático álbum solo do beatle George Harrison (1943 – 2001).
“Lembro do Ronaldo ter me dito, num momento em que eu estava ainda um pouco inseguro sobre meu futuro como artista, que ali, naquele disco, estavam coisas de que eu precisava saber”, recorda o cantor, compositor e músico fluminense.
Prestes a completar 42 anos em maio, Lucas entrou em cena na banda Binário (2000 – 2008), ganhou projeção como integrante do duo Letuce (2008 – 2016) ao lado de Letícia Novaes e, antes do fim da dupla, iniciou a discografia solo com a edição do álbum Falo de coração em 2014.
Sete anos e três álbuns depois, Lucas Vasconcellos já se sente seguro o suficiente para dar ênfase à sonoridade orgânica – em detrimento das recorrentes experimentações com timbres eletrônicos – no quarto álbum solo, Teoria da terra plena, cuja capa alude intencionalmente à capa do icônico álbum de George Harrison.
Quando Lucas contou para o fotógrafo e designer Pedro Garcia a história do presente recebido do psicanalista, surgiu a ideia de recriar na capa do álbum Teoria da terra plena a imagem do disco triplo do artista inglês, cuja capa foi assinada pelo fotógrafo e cineasta norte-americano Barry Feinstein (1931 – 2011).
A diferença é que, no cenário bucólico da imagem de Teoria da terra plena, Lucas Vasconcellos aparece rodeado por três cachorros. “Recriamos a capa com meus cachorros e com uma aura mais solar, o que reflete de fato o cenário onde vivo e compus as músicas do disco. O título também foi sugestivo, porque todos nós estamos, sem exceção, querendo e precisando ter alguma esperança de que esse tempo de pandemia e descaso com a ciência e as artes passe logo. E também é como sinto meu novo espaço, um lugar pleno”, se posiciona Lucas Vasconcellos.
No álbum Teoria da terra plena, produzido pelo próprio artista, Lucas Vasconcellos marca posição com repertório inédito em que apresenta músicas como As coisas são assim, Fumaça dos carros, O som do futuro, Falem – parceria com a ex-partner Letícia Novaes, conhecida como Letrux na caminhada solo – e Forest and TV on demand.
Inteiramente autoral, esse repertório foi gravado por Lucas com os toques de músicos como Álvaro Cardozo (bateria), Felipe Duriez (guitarra) e Gabriel Tauk (baixo). Vocalista d’A Banda Mais Bonita da Cidade, a cantora Uyara Torrente participa de Vamos tacar fogo nas coisas.