Lime, empresa de patinetes que recebeu investimento do Uber, chega ao Brasil


O serviço começa a funcionar nesta terça-feira (2) em São Paulo e na próxima quinta-feira (4) no Rio de Janeiro. Patinete elétrico da Lime chega ao Brasil.
Thiago Lavado/G1
O mercado de patinetes no Brasil se acirra um pouco mais a partir desta terça-feira (2). A americana Lime, uma das principais empresas a operar o negócio de patinetes compartilhados nos Estados Unidos e na Europa, anunciou sua chegada ao país.
Conheça as empresas por trás do compartilhamento de bicicletas e patinetes
Patinete elétrico: 10 dicas sobre como andar
Disponíveis a partir desta terça-feira em São Paulo, os patinetes estarão nas regiões de Pinheiros, Vila Olímpia, Brooklin e Vila Nova Conceição. De acordo com a Lime, “muito mais regiões estão por vir”.
No Rio de Janeiro, o serviço começará a funcionar a partir da próxima quinta-feira (4) em praias da zona sul, no trecho Leme-Gávea, além de Leblon, Copacabana e Ipanema.
A área de cobertura na capital carioca ainda não está disponível. Veja onde funciona em São Paulo:
Área de cobertura inicial da Lime na cidade de São Paulo.
Reprodução/Lime
Para utilizar os patinetes, serão cobrados R$ 3 iniciais na abertura da viagem e, posteriormente, mais R$ 0,50 por minuto.
A Lime estabeleceu parcerias com varejistas locais que permitem o estacionamento dos equipamentos em algumas de suas unidades.
Os equipamentos têm farol, luz de freio e aviso sonoro de travamento e destravamento, além de serem conectados ao Google Maps, que gera informações como valores e tempo de percurso.
Educação para usuários
A Lime anunciou também o “First Ride Academy”, um programa de treinamentos para usuários que serão realizados aos finais de semana. As aulas darão dicas de como dirigir os patinetes de forma segura e responsável.
De acordo com a empresa, além do programa, ações serão realizadas nas ruas para conscientização e educação de usuários sobre a convivência com harmônica entre patinetes, pedestres e carros.
Programas de treinamento e educação serão feitos pela Lime.
Thiago Lavado/G1
Quem é?
Apesar de ser um nome novo por aqui, a Lime anunciou parceria com uma empresa bem conhecida dos brasileiros, o Uber, que divulgou na última segunda o compartilhamento de patinetes e bicicletas elétricas em duas cidades dos EUA (San Diego e Atlanta).
No Brasil, os patinetes serão disponibilizados por um aplicativo próprio da Lime – enquanto, nos Estados Unidos, eles compartilham espaço no app do Uber.
“Estamos aqui para repensar o uso de carros e permitir que as pessoas escolham o veículo mais apropriado para sua mobilidade”, disse Joe Kraus, presidente global da Lime.
O Uber também é um dos grandes investidores da Lime, que afirma ser a maior empresa do setor: no ano passado a empresa de transporte por aplicativo injetou US$ 335 milhões na Lime, ao lado de gigantes do mercado de capital de risco e da Alphabet, companhia mãe do Google.
Patinetes da Lime têm visualizador de velocidade e nível de bateria.
Thiago Lavado/G1