Leonardo DiCaprio cita aumento dos incêndios na Amazônia e critica Bolsonaro; ‘Duvidou publicamente da gravidade’

‘Os incêndios florestais na Amazônia no ano passado foram devastadores o suficiente’, escreveu o ator. Leonardo DiCaprio publicou texto nas redes sociais criticando a postura do presidente Jair Bolsonaro diante do aumento dos incêndios na Amazônia em 2019 e 2020.
“O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, está sob pressão internacional para conter os incêndios, mas ele duvidou publicamente da gravidade deles no passado, alegando que oponentes e comunidades indígenas foram os responsáveis”, escreveu o ator em uma postagem no sábado (15).
Initial plugin text
“Os incêndios florestais na Amazônia no ano passado foram devastadores o suficiente, mas com o clima mais seco este ano, assim como a pandemia do coronavirus que matou mais de 99 mil brasileiros, há uma preocupação crescente de que o desmatamento em andamento não esteja recebendo atenção suficiente”, afirmou DiCáprio.
Com 1.654 km² de áreas em risco em julho, alertas de desmatamento na Amazônia sobem 34,5% em um ano
Nasa diz que 2019 é o pior ano de queimadas na Amazônia brasileira desde 2010
Investidores europeus ameaçam desinvestir no Brasil devido a desmatamento
O ator citou dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) para mostrar o aumento de 28% dos incêndios na floresta amazônica em julho deste ano em comparação ao de 2019. “Os primeiros números de agosto também mostram um aumento de 7%”, alertou.
Estes mesmos dados do Inpe citados por DiCaprio também revelaram que estão sob alerta de desmatamento neste ano 9.205 km² de área da floresta, uma área mais que seis vezes o tamanho da cidade de São Paulo, um aumento de mais de 34% em relação ao período em 2019.
Além do texto, o astro compartilhou um vídeo do jornal britânico The Guardian que mostra quilômetros da Amazônia queimando em agosto.
Alertas de desmatamento na Amazônia sobem 34% em um ano
Troca de farpas
No ano passado, Bolsonaro acusou Leonardo DiCaprio de financiar queimadas na Amazônia.
“O pessoal da ONG, o que eles fizeram? O que é mais fácil? Botar fogo no mato. Tira foto, filma, a ONG faz campanha contra o Brasil, entra em contato com o Leonardo DiCaprio, e o Leonardo DiCaprio doa 500 mil dólares para essa ONG. Uma parte foi para o pessoal que estava tocando fogo, tá certo? Leonardo DiCaprio tá colaborando aí com a queimada na Amazônia, assim não dá.”
As declarações repercutiram fora do país na época. Os jornais americanos “Washington Post” e “New York Times” destacaram que o presidente do Brasil criticou DiCaprio por incêndios na Amazônia e afirmaram que Bolsonaro não ofereceu nenhuma prova.
Bolsonaro afirmou na última terça-feira (11) que o Brasil recebe críticas de outros países por desmatamento na Amazônia porque é “potência no agronegócio”. Segundo Bolsonaro, o Brasil é ameaçado o tempo inteiro e “alguns poucos brasileiros” trabalham contra o governo nesse tema.