Karol Conká omite nome de parceiros em ‘Tombei’ e outros sucessos na internet


Tropkillaz, co-intérpretes de 3 das músicas mais ouvidas de Karol, e Nave, produtor do 1º disco, são omitidos nos canais dela. G1 apurou que ela apagou nomes e isso tira visibilidade, mas eles ainda têm direitos autorais. Karol Conka no Palco Sunset do Rock in Rio 2019
Adriano Ishibashi/ Framephoto/ Estadão Conteúdo
O duo Tropkillaz, parceiro de Karol Conká em três dos maiores sucessos, foi omitido como intérprete no registro das músicas feitos nos canais da cantora no Spotify e no YouTube. O DJ Nave, que produziu o primeiro disco dela, “Batuk Freak” (2013), teve esse crédito retirado do Spotify.
O duo de música eletrônica Tropkillaz é coautor, produtor e co-intérprete de “Tombei”, “Lalá” e “É o poder”. São três das quatro músicas mais ouvidas no YouTube da carreira da rapper e participante do “BBB21”.
O nome do duo e do produtor está no cadastro das faixas no Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), e eles recebem os direitos autorais. A falta do nome nos principais canais de streaming de Karol muda apenas a visibilidade dos parceiros nos serviços de streaming.
O G1 apurou que a cantora retirou os créditos do Tropkillaz e de Nave após desentendimentos com os artistas, que foram parceiros de seus trabalhos mais marcantes na música.
Karol Conká tem sido alvo de críticas por sua relação com os outros participantes do “BBB21”. Os fãs interpretaram um tuíte de Zegon, DJ do Tropkillaz, como indireta para a cantora.
“Um dia as máscaras sempre caem, não tem jeito”, escreveu Zegon na sexta-feira (29). Nave respondeu ao post com risos. O G1 procurou os músicos para falar sobre os créditos das músicas após notar a ausência dos nomes, mas eles não quiseram comentar.
Dupla do Tropkillaz comanda show no palco Axe do Lollapalooza Brasil 2018
Fábio Tito/G1
Os Tropkillaz só têm o crédito principal ao lado de Karol quando o registro é feito por outros canais, como no clipe de “Tombei”, que foi lançado na página do diretor de funk Kondzilla, e o vídeo de “É o poder”, no canal do extinto selo musical Skol Music.
Nos títulos das faixas nos canais de Karol, o nome Tropkillaz é sempre omitido. Eles estão apenas no crédito secundário das faixas, na ficha interna do Spotify e nos textos de descrição do YouTube.
Nave sumiu
Crédito de uma das faixas de ‘Batuk Freak’, primeiro disco de Karol Conká, no Spotify. O produtor do disco foi Vinícius Nave. No entanto, seu nome foi omitido por Karol Conká
Reprodução
Outro parceiro de Karol cujo nome é parcialmente omitido em seus canais de streaming é de Vinícius Nave, o Nave Beatz, produtor do seu primeiro álbum, “Batuk Freak” (2013). Em todas as faixas no Spotify, ele aparece apenas como coautor, não como produtor.
No Ecad, Nave tem o crédito para receber os direitos autorais das faixas de “Batuk Freak” apenas como arranjador. Isso siginfica que ele ganha uma fatia menor do que se fosse cadastrado como intérprete, mas ainda tem parte dos direitos das gravações.