Justiça de RO condena motorista embriagado que atropelou e matou professora na RO-257


Caso aconteceu em novembro de 2016; Homem atropelou mãe e filho que estavam em moto e fugiu do local. Durante a fuga, motorista capotou o veículo e caiu dentro de um rio cerca de 19 quilômetros depois. Mãe e filho trafegavam de motocicleta, quando foram atingidos por caminhonete
Jeferson Carlos/G1
O Tribunal de Justiça de Rondônia (TJ-RO) condenou a 16 anos de prisão um motorista de 53 anos que atropelou e matou uma professora de 28 anos na RO-257, em Ariquemes (RO), no Vale do Jamari. O acidente aconteceu em novembro de 2016, quando a mulher e o filho de 9 anos trafegavam em uma motocicleta e foram atingidos frontalmente pela caminhonete. O réu ainda fugiu do local e caiu com o veículo dentro de um rio após colidir contra a ponte.
Conforme o judiciário, o homem conduzia o veículo em estado de embriaguez pela rodovia quando perdeu o controle da direção do veículo, invadiu a pista contrária e colidiu contra a mãe e o filho no Km 7, da RO-257. Após a colisão, a motocicleta foi arremessada por 11 metros e a professora morreu no local. O filho da vítima sofreu lesões pelo corpo e foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) ao Hospital Regional do município.
Após o acidente, o motorista fugiu do local e capotou com o veículo, vindo a cair dentro do Rio São João, a cerca de 19 quilômetros depois da colisão. O motorista foi retirado das águas por populares que passavam no local. Ao ser questionado pela Polícia Militar (PM), ele confessou que havia atropelado a professora e o filho.
Conforme o TJ-RO, o réu foi levado à Júri Popular na última quarta-feira (21) para ser julgado pelos crimes de homicídio contra a professora e pela tentativa de homicídio contra o filho da vítima. O Conselho de Sentença reconheceu o dolo eventual na morte da mulher e o absolveu pela tentativa de homicídio contra a criança.
Durante a dosimetria da pena, o juiz considerou a culpabilidade do acusado reprovável por dirigir em estado de embriaguez e assumir o risco da própria vida e outros ao conduzir a caminhonete após ingerir o medicamento rivotril. O juiz ainda destacou que o réu já havia sido preso anteriormente por porte ilegal de arma de fogo e por dirigir veículo em estado de embriaguez.
Sentença
Na sentença, o magistrado fixou a pena base em 17 anos de reclusão, mas por haver a atenuante da confissão, a pena foi diminuída em um ano, totalizando 16 anos de reclusão a serem cumpridos inicialmente em regime fechado. Por estar presos desde o dia 12 de maio de 2017, o réu deverá cumprir a pena de 15 anos, um mês e 20 dias de prisão.
O juiz ainda suspendeu a CNH do motorista pelo mesmo período da sentença. A decisão do Tribunal do Júri da 1ª Vara Criminal da Comarca de Ariquemes ainda cabe recurso, mas o réu permanecerá preso. O G1 entrou em contato com a defesa do réu que preferiu não comentar sobre a decisão e se apresentará recurso aos desembargadores do TJ-RO.
Acidente na RO-257 no Vale do Jamari
Jeferson Carlos/G1
O caso
Uma mulher de 28 anos morreu na noite de 20 de novembro de 2016, após uma colisão frontal entre a motocicleta que pilotava e uma caminhonete no Km 7 da RO-257, em Ariquemes. O filho da vítima, de nove anos, estava na garupa do veículo e sofreu escoriações pelo corpo.
Segundo a PM, o motorista fugiu do local sem prestar socorro às vítimas, mas durante a fuga colidiu contra uma ponte e caiu dentro do Rio São João. O homem foi abordado e fez o teste do bafômetro, que apontou que ele estava embriagado.
Conforme a ocorrência, a motociclista com a criança trafegava na rodovia sentido a Ariquemes, quando foi atingida de frente pela caminhonete, que trafegava sentido a Machadinho D’Oeste (RO). Um agricultor que reside nas proximidades teria ouvido o barulho do acidente e saiu para verificar o ocorrido. Ele se deparou com a mulher caída na pista a cerca de 10 metros de distância da moto e o menino chorando nas margens da rodovia, e acionou a polícia. O Corpo de Bombeiros e o Samu foram solicitados, mas ao chegarem ao local foi constatado que a condutora da moto estava morta.
Segundo a PM, o motorista de 51 anos apresentava sinais de embriaguez e foi encaminhado até a Polícia Rodoviária Federal (PRF) para realizar o teste do bafômetro, o qual atestou que o homem dirigia embriagado.

Powered by WPeMatico