Júri do Globo de Ouro é proibido de aceitar presentes em tentativa de recuperar credibilidade


Polêmica que envolve ética e práticas duvidosas levou ao cancelamento da transmissão do prêmio em 2022 e a medidas para tentar retomar seu status em Hollywood.. Estátuas do Globo de Ouro no Beverly Hilton Hotel, em Los Angeles, onde são anunciados os indicados à premiação
Chris Pizzello/Invision/AP
A organização do Globo de Ouro proibiu seus membros de aceitar presentes e viagens, depois que uma polêmica envolvendo ética e práticas duvidosas levou ao cancelamento da transmissão da cerimônia do cinema no próximo ano.
A Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA) tenta fazer uma reestruturação, em meio a críticas generalizadas a seu histórico relacionadas à diversidade e transparência.
O grupo, formado por cerca de 80 jornalistas da área de cinema, foi acusado de usar o prestígio que acompanha uma indicação ou vitória no Globo de Ouro para obter vantagens e acesso privilegiado aos astros da indústria cinematográfica americana.
De acordo com as “novas políticas envolvendo presentes, viagens e conflito de interesses,” os membros da HFPA “não podem aceitar materiais promocionais ou outros presentes de estúdios, publicitários, atores, diretores ou outras pessoas ligadas a filmes e programas de TV”.
“A HFPA continua dedicada à mudança transformadora que descreveu em seu plano de reforma e cronograma de maio”, afirmou o grupo em um comunicado à AFP. “Ontem, a organização estabeleceu novas pautas-chave para avançar com a reforma.”
Entre as reformas mencionadas, a organização criou uma linha direta para receber denúncias (que serão investigadas por um grupo independente), aprovou um novo código de conduta e contratou assessores de diversidade, igualdade e inclusão.
Emissora cancela transmissão do Globo de Ouro 2022 nos EUA após críticas sobre falta de diversidade
O Globo de Ouro é um dos prêmios mais importantes de Hollywood, mas seu futuro é questionado. Uma carta assinada por mais de 100 publicitários da indústria pediu à HFPA em março o fim do “comportamento discriminatório, da falta de profissionalismo e ética e da suposta corrupção financeira.” Essas questões se somaram às críticas feitas anteriormente pelo movimento Time’s Up, pela igualdade de gênero.
Celebridades como Scarlett Johansson e Mark Ruffalo consideraram as reformas promovidas pelos organizadores do Globo de Ouro lentas e inadequadas, enquanto Tom Cruise devolveu seus três prêmios, em protesto. Estúdios poderosos, como Warner Bros, Netflix e Amazon, anunciaram que não irão trabalhar com a HFPA até que mudanças mais significativas aconteçam.
Em maio, a NBC cancelou sua transmissão da cerimônia do próximo ano. No mês passado, dois membros renunciaram, em protesto contra o “ambiente tóxico” da associação.
“Continuaremos atualizando a indústria sobre o nosso avanço, à medida que votarmos novos estatutos, que irão criar uma organização inclusiva, diversa e responsável, da qual nossos membros, partes interessadas e parceiros se orgulhem”, indicou a HFPA.
Perdido no Globo de Ouro? Semana Pop tem guia rápido para começar temporada de premiações