Johnny Hooker revive ‘Abandonada’ com Fafá de Belém em single que anuncia álbum ao vivo do cantor


Artista também apronta disco de músicas inéditas compostas com inspiração em diário de orgias de poeta argentino no Recife. ♪ Johnny Hooker lança o primeiro registro audiovisual de show neste primeiro semestre de 2021 enquanto espera o momento apropriado para apresentar o álbum autoral de músicas inéditas que gravou com inspiração no livro Orgia – Diários de Tulio Carella – Recife, 1960, editado no Brasil em 1968.
Na quinta-feira, 25 de fevereiro, o cantor e compositor pernambucano põe no mundo digital o primeiro single do álbum e filme intitulados Macumba ao vivo em Recife.
A música escolhida para ser a amostra inicial da gravação ao vivo é Abandonada, balada passional de Michael Sullivan e Paulo Sérgio Valle revivida por Hooker com a participação de Fafá de Belém, intérprete original dessa composição lançada pela cantora paraense há 25 anos no álbum Pássaro sonhador (1996).
Com arte de Mila Fraga, a capa do single Abandonada expõe Hooker e Fafá em pintura criada pelo artista plástico Ramonn Vieitez para o disco.
Capa do single ‘Abandonada’, de Johnny Hooker com Fafá de Belém
Pintura de Ramonn Vieitez com arte de Mila Fraga
A conexão de Hooker com Fafá em Abandonada soa natural porque, no penúltimo álbum de estúdio, Do tamanho certo para o meu sorriso (2015), a artista regravou com propriedade Volta, música de Hooker apresentada na trilha sonora do filme Tatuagem (2013).
Até então inédito, o registro audiovisual do show de Hooker foi feito há quase cinco anos, precisamente na madrugada de 22 de abril de 2016, quando o cantor subiu ao palco da casa Baile Perfumado, no Recife (PE), para fazer a última apresentação da turnê Eu vou fazer uma macumba pra te amarrar, maldito!, cujo show era baseado no repertório do homônimo e independente álbum de 2015 que projetou Hooker com músicas autorais como Alma sebosa e Amor marginal.
Além das músicas do disco, o roteiro do show captado ao vivo para DVD incluiu sucessos alheios como Garçom (Reginaldo Rossi, 1987), abordado por Hooker em duo com o cantor Otto.