Johnny Depp acusa ex de defecar em sua cama; Amber Heard diz que fezes eram de cachorros, mas funcionária desmente


Em depoimento, funcionária de ator há mais de 30 anos garantiu que ‘fezes eram claramente humanas’. Johnny Depp posa em frente a um tribunal de Londres nesta terça-feira (7)
Reuters/Peter Nicholls
A briga pública entre Johnny Depp e Amber Heard tem trazido à tona inúmeros detalhes do relacionamento do ex-casal durante o julgamento iniciado na última semana. O ator está processando a editora do The Sun, News Group Newspapers, e o editor-executivo, Dan Wootton, por difamação sobre um artigo que Wootton escreveu em abril de 2018 que o chamava de “espancador de esposa”. Durante processo, o ator acusa sua ex-mulher de mentir sobre ter sido agredida por ele
No tribunal, Johnny Depp e Amber Heard tem trocado acusações. Em uma delas, o ator diz que Amber defecou na cama do casal durante uma das brigas. Fotografias das fezes foram mostradas no tribunal.
Amber insiste em negar que tenha defecado na cama e afirmou que as fezes eram de seus cachorros, Pistol e Boo, dois yorkshires. Mas esta semana, Depp ganhou o apoio de uma das funcionárias da casa.
Hilda Vargas, que trabalhou por 30 anos com Depp, declarou em seu depoimento ao tribunal que as fezes “eram claramente humanas” e que os dois cachorros nunca haviam sujado a cama anteriormente. Ela ainda garantiu que os animais nunca subiram na cama por conta própria. O incidente teria acontecido em 22 de abril de 2016.
Em sua declaração, Vargas afirmou que tinha acabado de lavar a louça e aspirar o pó da casa quando ouviu outra faxineira chamar do quarto. “Ela estava apontando para a cama e me disse que não podia acreditar no que havia encontrado. Puxei o lençol de cima da cama e vi uma grande pilha de fezes”, relatou a funcionária.
“Fiquei horrorizado e com nojo. Estava claro para mim que eram fezes humanas. Eu sabia que as fezes não poderiam ter vindo dos dois cachorros.”
Amber Heard, ex-mulher de Johnny Depp, também compareceu ao tribunal nesta terça-feira (7)
Reuters/Toby Melville
Acusações
O advogado de Depp, David Sherborne, afirmou em uma nota de abertura à Suprema Corte de Londres, na terça-feira (7), que Heard divulgou alegações de abuso pela primeira vez em maio de 2016, quando obteve uma ordem de restrição contra Depp e parecia ter hematomas no rosto causados ​​por um incidente seis dias antes.
“Existe um conjunto substancial de evidências que demonstra claramente que essa foi uma mentira fabricada pela senhora Heard e por seus amigos”, disse Sherborne.
Em documentos submetidos ao tribunal, a equipe de Depp também disse que Heard iniciou um caso com o executivo-chefe da Tesla, Elon Musk, no início de 2015, logo após o casamento, e teve ao menos um relacionamento extraconjugal com seus colegas de elenco, citando James Franco.