Irã pode exportar quanto petróleo quiser, diz líder supremo do país


EUA aplicarão sanções a quem importar petróleo do país persa. Aiatolá Ali Khamenei em cerimônia com trabalhadores iranianos
Site do líder supremo do Irã / AFP
O Irã pode exportar a quantidade de petróleo que precisar, afirmou nesta quarta-feira (24) o líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, de acordo com seu site oficial.
Os Estados Unidos anunciaram no começo da semana que vão aplicar as sanções contra as nações que importarem o produto do Irã.
O país já tinha a possibilidade de punir comercialmente economias que comprassem óleo iraniano, mas, na prática, abdicava de aplicar essas penas.
A partir da semana que vem, haverá mais pressão em cima de importadores para interromper o comércio com o Irã, o que deve esgarçar a oferta global. A Casa Branca afirmou que estuda formas de garantir o fornecimento em conjunto com a Arábia Saudita e os Emirados Árabes.
Os preços de petróleo atingiram na terça (23) o nível mais alto desde novembro, após o governo dos EUA anunciar a política.
“Os esforços dos EUA para punir a venda de óleo iraniano não chegarão a lugar nenhum, nós podemos exportar o tanto do nosso óleo quanto precisarmos e quisermos” foi a citação atribuída a Khamenei.
Washington receberá uma resposta, e o povo do Irã não permanecerá silencioso, afirmou Khamenei.
Outras autoridades respondem
Além do aiatolá Khamenei, O presidente do Irã, Hassan Rouohani, também se pronunciou sobre a política dos EUA. A Arábia Saudita e os Emirados Árabes erram ao ajudar Donald Trump, afirmou.
“Você, cuja existência está na sombra da República Islâmica do Irã, como você pode dizer a Trump que se ele cortar as exportações de petróleo do Irã para zero, você poderá compensar? Você entende as consequências dessa declaração e que ela significa que você é um inimigo definido do povo iraniano?”
O Irã disse ainda que o país está disposto a negociar com os EUA só quando o governo norte-americano parar com as pressões e pedir desculpas, de acordo com seu site.
O comandante naval da Guarda Revolucionária havia dito na segunda (22) que o país fecharia o estreito de Ormuz, uma rota importante para o transporte de petróleo no Golfo, caso os iranianos sejam impedidos de usá-lo.