Inep divulga gabaritos do Enem digital 2020


Resultados individuais dos candidatos, incluindo os da versão impressa, só sairão em 29 de março. Candidatos que não conseguiram fazer o enem digital podem pedir a reaplicação da prova
O site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou os gabaritos da versão digital do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, a primeira da história.
As provas foram aplicadas em 31 de janeiro e 7 de fevereiro em laboratórios de informática contratados pelo governo. As notas finais, incluindo as da versão impressa, serão divulgadas pelo Inep no dia 29 de março.
Confira aqui os gabaritos. Acesse o site do Inep, vá na aba 2020 e, mais abaixo, procure “aplicação digital”.
Uma questão de matemática da prova digital (140 do caderno amarelo, 148 do cinza, 157 do azul e 165 do rosa) foi anulada por ser exatamente igual a uma da edição de 2009.
Eram esperados mais de 93 mil candidatos – o número exclui os inscritos no Amazonas, que tiveram as provas suspensas por causa da pandemia, e de Macapá, cujo local de prova foi interditado por problemas estruturais.
Compareceram à prova digital 26.7609 (28,7%) e faltaram 66.370 (71,3%). O objetivo do governo é tornar o Enem 100% digital no prazo de cinco anos.
1º dia de Enem digital tem redação sobre desigualdade entre regiões do Brasil
2º dia de Enem digital teve questão sobre vacina, matemática financeira e meio ambiente
Inep anula questão de matemática do Enem digital por já ter caído na edição de 2009
Candidatos têm temperatura aferida em local de prova para primeiro dia do Enem digital 2020, no DF
Walder Galvão/G1
Apesar da divulgação dos gabaritos, é importante lembrar que o número de acertos do candidato não indica sua nota final, por causa da Teoria de Resposta ao Item (TRI). O sistema de correção detecta a coerência no desempenho do estudante – ele reconhece o “acerto ao acaso”, ou seja, o “chute”, e atribui uma pontuação menor.
No Enem, cinco candidatos podem acertar exatamente a mesma quantidade de questões, mas tirarem notas bem diferentes. Um exemplo: se o aluno acertou as 5 questões mais difíceis, mas errou as mais fáceis, provavelmente “chutou” as alternativas. Seu desempenho é considerado incoerente, e a pontuação para cada acerto é reduzida.
Entenda os detalhes da TRI.
Desafios para tornar o Enem 100% digital
Quando anunciado, em julho de 2019, o objetivo era tornar o Enem 100% digital até 2026. Mas há desafios. Especialistas ouvidos pelo G1 apontam problemas como:
Logística e infraestrutura: será um desafio encontrar locais com computadores para um contingente de mais de 5 milhões de candidatos (em 2020, a prova impressa teve 5,78 milhões de inscritos confirmados)
Problemas técnicos: os desenvolvedores precisam criar provas que “rodem” em todo e qualquer tipo de computador, marca e capacidade de memória
Níveis de proficiência: a prova digital precisa ser adaptada para que a dificuldade das questões seja comparável às do Enem impresso. Pesquisas na área de educação apontam diferenças no rendimento conforme a mídia usada para a prova (papel ou digital)
Risco de exclusão social: será necessário preparar os candidatos para se familiarizarem com provas em computadores
Há também vantagens: o Enem digital poderá evoluir para um modelo que permita uma avaliação personalizada, com questões sendo escolhidas no Banco de Itens (questões) conforme o aluno acerta ou erra as respostas. Também será possível incluir interatividade na avaliação, com vídeos e gráficos animados, por exemplo. Para isso, será preciso investir na elaboração dessas questões, para criar um banco de dados robusto e com opções variadas a cada nível de desempenho dos candidatos.
Cronograma do Enem
Reaplicação: 23 e 24 de fevereiro
Resultados: 29 de março
Vídeos: saiba tudo sobre o Enem 2020