Índice de confiança do empresário cai ao menor nível desde outubro, diz CNI

Em abril, o indicador recuou para 58,4 pontos. Apesar da sequência negativa, a confiança do empresário permanece acima da média histórica, que é de 54,4 pontos. Valores acima de 50 pontos indicam que os empresários estão ‘otimistas’. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) recuou para 58,4 pontos abril, o menor patamar desde outubro do ano passado, informou a Confederação Nacional da Indústria (CNI) nesta segunda-feira (22). A pesquisa foi feita entre entre 1º e 12 de abril com 2.371 empresas.
Apesar da queda do indicador, ele ainda permanece acima da linha dos 50 pontos, o que, de acordo com a entidade, indica que os empresários ainda estão “otimistas”. Somente valores abaixo de 50 pontos representam pessimismo.
“Os empresários continuam otimistas, embora mais uma queda no ICEI sinalize preocupação em relação ao futuro. A confiança na indústria tende a melhorar se a reforma da Previdência avançar de forma satisfatória no Congresso Nacional”, afirmou o economista da CNI, Marcelo Azevedo
Segundo a CNI, essa foi a terceira queda consecutiva do indicador. Com isso, o índice voltou a ficar abaixo dos 60 pontos. A entidade observou, porém, que apesar da sequência de reduções, a confiança do empresário permanece acima da média histórica, que é de 54,4 pontos.
De acordo com o levantamento, a queda do ICEI é atribuída a dois fatores: o recuo das expectativas do empresário e a piora da avaliação das condições de negócios.
O Índice de Condições Atuais, um dos tópicos que compõem o ICEI, caiu 3,8 pontos e atingiu a marca de 49,8 pontos em abril, informou a CNI. Como o patamar é inferior a linha divisória de 50 pontos, isso aponta que o empresário não notou melhora nas condições correntes de negócios.
Já o Índice de Expectativas recuou 3,5 pontos em abril, para 62,6 pontos. “Embora tenha caído, continua em um patamar elevado, mais de 12 pontos acima da linha que divide as expectativas negativas das positivas”, acrescentou a CNI.