Incerteza da economia avança para maior nível desde setembro, nota FGV

Instabilidade política e guerra comercial entre EUA e China pesaram. O Indicador de Incerteza da Economia (IIE-Br), da Fundação Getulio Vargas (FGV), divulgado nesta terça-feira (30), registrou o maior nível desde setembro de 2018 ao avançar 8,1 pontos em abril, para 117,3 pontos.
A alta do indicador foi influenciada por todos os seus componentes. O componente de Mídia subiu 6,4 pontos na passagem do terceiro para o quarto mês de 2019, contribuindo com 5,6 pontos para o resultado agregado. O componente de Expectativa registrou alta de 11,4 pontos no mesmo período, contribuindo com 2,5 pontos para o comportamento final do indicador.
“Uma série de fatores contribuíram para que o indicador de incerteza atingisse seu maior patamar desde as eleições presidenciais de 2018: no cenário interno, a instabilidade política do governo e a gradual, mas consistente, tendência à revisão dos indicadores da economia; no externo, a guerra comercial entre EUA e China” diz a pesquisadora Raíra Marotta, da FGV.
Ela acrescenta que, nos próximos meses, “na medida em que o governo consiga avançar no alinhamento com o Congresso, é possível que o indicador volte a recuar”.