Inadimplente com o Brasil, Venezuela paga parcela de dívida com a Rússia


Venezuela quitou prestação de US$ 100 milhões que devia aos russos com atraso de alguns dias. Maduro fez discurso no mês de março, durante marcha em Caracas
Natacha Pisarenko/AP
O ministro das finanças da Rússia, Anton Siluanov, afirmou à agência EFE que a Venezuela quitou uma prestação de dívida que estava em atraso de alguns dias.
“Sim, a Venezuela nos pagou no prazo estabelecido um tranche (parcela) da dívida que tem contraído com a Rússia”, disse ele no dia 19 de abril.
No começo deste mês, o ministro russo havia tornado público que o país latino-americano não tinha depositado um pagamento de cerca de US$ 100 milhões, que estava programado para março – havia, no entanto, uma margem para quitar o montante sem penalização.
No fim de 2017, os dois países firmaram um protocolo para entre os dois governos sobre a reestruturação da dívida venezuelana.
Pelo acordo, a Venezuela terá que quitar uma dívida de cerca de US$ 3,15 bilhões em dez anos, com pagamentos de menor valor nos primeiros seis anos.
Calote na dívida com o Brasil
A Venezuela deixou de pagar prestações que somam US$ 414 milhões ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
Entre os anos de 2000 e 2017, o banco emprestou US$ 2,2 bilhões para a Venezuela contratar serviços ou produtos brasileiros, como construções ou aeronaves.
A maior parte, cerca de 70%, foi quitada.
Quando o BNDES fez os empréstimos, teve uma garantia do governo brasileiro de que, se a Venezuela desse um calote, o Brasil garantiria os valores (o nome desse contrato é seguro de crédito à exportação da União).
O banco recorreu a esse seguro quando a Venezuela deixou de honrar a dívida, e por conta disso, o Brasil indenizou o BNDES em US$ 228 milhões.