IBGE eleva previsão para safra de grãos a 230,1 milhões de toneladas em 2019


Estimativa é 0,6% maior do que a última divulgada e representa alta de 1,6% em relação à colheita de 2018. Lavoura de soja em Barreiras, na Bahia
Roberto Samora/Reuters
A safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas em 2019 deve chegar a 230,1 milhões de toneladas, divulgou nesta quinta-feira (11) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Isso representa um aumento de 1,3 milhão de toneladas (0,6%) em relação à última previsão feita pelo órgão e de 3,6 milhões de toneladas (1,6%) em relação ao total colhido em 2018.
Esta é a terceira estimativa do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA). Se confirmada a projeção, será a segunda maior safra do país na série histórica do IBGE, iniciada em 1975. O recorde foi registrado em 2017, quando foram colhidas 238,4 milhões de toneladas.
Segundo o gerente do levantamento feito pelo IBGE, Carlos Alfredo Guedes, a alta em relação ao levantamento anterior foi puxada pelo milho, cuja estimativa para a segunda safra cresceu 3,4%, a 65,4 milhões de toneladas – alta de 17,5% na comparação com 2018.
O instituto prevê que a colheita total de milho será de 91 milhões de toneladas em 2019, aumento de 1,9% frente à última estimativa e de 11,9% frente ao ano passado.
Chuva e soja
Guedes, destacou que havia uma expectativa maior da safra quando a soja começou a ser plantada, por volta de outubro do ano passado, mas que não se concretizou.
“Temperaturas altas e falta de chuva em algumas regiões, principalmente no Paraná e Mato Grosso do Sul, afetaram bastante. Para se ter uma ideia, a safra teve aumento da a área plantada, mas caiu a produção da lavoura”, destacou.
Na primeira estimativa do ano, o IBGE previa que o Brasil iria colher 117 milhões de toneladas de soja, que se configuraria como recorde para o país. Agora, a estimativa caiu para 112 milhões. Todavia, o prejuízo com a soja tende a ser compensado pelo milho, beneficiado pela antecipação do plantio.
“Como começou a chover mais cedo, o plantio da soja foi feito mais cedo. E o milho segunda safra teve um período melhor no campo, em que corre menos riscos, já que foi plantado logo após a colheita da soja. Então, ele teve uma janela de plantio mais longa que favoreceu a produção (do milho)”, explicou o pesquisador.