Iann Dior: como ex-youtuber virou aposta do emo rap e chegou ao topo das paradas nos EUA


Rapper de 21 anos conta ao G1 como foi de ‘garoto maluco publicando vídeos’ a popstar que junta influência dos Strokes com vibe de Post Malone. Veja entrevista em VÍDEO. Iann Dior, nova aposta do emo rap, diz que sua música é como um diário
Um ex-youtuber porto-riquenho de 22 anos virou a grande aposta do rap americano em 2021. Iann Dior, codinome de Michael Ian Olmo, é um dos donos da música mais ouvida nos Estados Unidos nos últimos meses. Mas ele quer mais.
Nascido em Porto Rico e criado em Corpus Christi, cidade texana de 300 mil habitantes, Iann é uma aposta do emo rap. Ele faz um hip hop mais grave, com algo de rock, perfeitinho para fãs de Post Malone.
Em 2018, largou a vida de youtuber e se jogou na música, lançando um rap por dia. “Eu não pensava muito, só ia compondo e tirando as ideias de mim. Deu uma acelerada na minha carreira”, explica ele ao G1, em entrevista por Zoom (assista no vídeo acima).
Iann Dior
Divulgação/Cian Moore
“Eu só era um garoto maluco publicando vídeos sobre meu dia. Foi bem divertido, mas ficou meio datado bem rápido, eu mudei para a música e ela dominou a minha vida na mesma hora.”
Ele aceita o rótulo de emo rap, mas sem muita empolgação. “Para mim, minha música é como um diário. Podem chamar de emo rap ou do que quiserem, sabe? Hoje tenho misturado muito os gêneros, tem pop, rap, um pouco de funk. Mas podem chamar do que quiserem.”
“Mood”, hit sobre deixar o mau-humor de lado e viver de um jeito mais leve, mudou a vida dele. “Ela já passou 36 semanas no hot 100 [parada dos EUA], o que é bem importante para um garoto que tem 22 anos e tinha 19. Isso não acontece tanto.”
A proposta é bem simples: ele diz que tenta se divertir no palco e nos vídeos, para ver se outras pessoas se divertem com ele. “Eu não levo as coisas a sério demais”, resume, com ar blasé.
24kGoldn e Iann Dior cantam ‘Mood’ em Los Angeles, nos Estados Unidos, em dezembro de 2020
Alberto E. Rodriguez/Getty Images North America/Getty Images via AFP
Das pistas aos sets
O visual característico, com alguns poucos dreads formando uma franja, foi criado por acaso. O rapper costumava ter a cabeça cheia de dreads. “Eu não gostava, porque você não pode lavar sua cabeça toda hora “, explica.
“Então, minha mãe escovou meu cabelo tirando os dreads, e doeu demais. Eu senti meu coração bater na minha cabeça. Então, eu pedi para ela parar e esses foram os dreads que sobraram. Ficou assim. Eu me olhei no espelho e pensei: ‘nossa, amei isso’. Daí deixei assim.”
Iann Dior está entre as apostas internacionais da música para 2021
Iann fala de tudo com tranquilidade e se levanta no meio da entrevista para andar pela casa onde está, com o celular balançando.
Zanzando por uma varanda, ele lamenta não ter tempo para andar de skate, como fazia quando era mais novo. Mas será que ele curte algum skatista brasileiro?
“A cena de skate da minha cidade era gigante e eu lembro que Bob Burnquist e Tony Hawk foram lá uma vez. Foi demais ver esses caras pessoalmente, porque eu só controlava os caras no videogame.”
Iann Dior
Divulgação/Cian Moore
Além das pistas de skate, Iann deverá ser visto nos próximos meses no elenco de alguma série ou filme. Ele vem dizendo que gostaria de ser ator. Mas qual tipo de projeto curtiria fazer?
“Eu gostaria muito de ter sido parte de ‘Stranger things’, é uma série que eu amei. Gosto de muitos filmes de ficção científica, de um estilo meio moderno retrô. Gosto desse tipo de coisa, gosto de filmes sobre o espaço. ‘Interestelar’ é demais.”
Essas inspirações, conta ele, estão no vídeo de “Shots in the Dark”, lançado em abril. Ele encarna uma espécie de herói intergaláctico. Outras referências de Iann são os diretores John Carpenter e Gaspar Noé.
“Gosto de ‘Viagem alucinante’ e ‘Clímax’, porque eu fico muito desconfortável. Tem algo ali que eu acho muito cool”, explica, citando dois dos filmes de Noé, argentino também responsável por “Irreversível” (2002).
Iann Dior
Divulgação/Cian Moore
Além do rap e da ficção científica, o rock de Paramore, Panic at the Disco, Strokes e Blink 182 também entra na lista de influências dele.
“Quando você escuta a minha música, você meio consegue ouvir um pouco do som deles nos meus raps”, garante. “Strokes, com certeza, são uma grande influência nas músicas mais roqueiras que eu fiz no álbum, as que eu fiz com o Travis. Acontece naturalmente.”
O Travis do qual fala é Travis Barker, baterista do Blink 182, e hoje um produtor requisitado. “Sempre é incrível trabalhar com ele. Ele é um grande cara. É divertido. A gente fica 12 horas trabalhando em uma música, até ela soar perfeita… Meus ‘ganchos’ são bem rock, mas os versos são mais do rap, mais rápidos.”
Iann Dior
Divulgação
A paixão pelo rock, o passado como youtuber e a sonoridade aproximam Iann de outro rapper bem popular no Brasil, Post Malone. Teriam os dois a mesma vibe?
“Sim, com certeza temos uma vibe parecida”, concorda. “Post Malone é meu artista favorito. Ele tem um som único. Eu diria que estamos no mesmo mundo. É legal você trazer isso à tona, porque amo a música dele.”