Honda chama 35 mil carros de 4 modelos para desativar airbag do motorista


Chamada envolve Civic, CR-V, Accord e Odyssey, produzidos entre 1996 e 1999. Medida é para evitar novos casos de rompimento do insuflador, nos chamados ‘airbags mortais’. Honda Civic 1997
Divulgação
A Honda está convocando 34.937 veículos dos modelos Civic, CR-V, Accord e Odyssey para desativação do airbag do motorista. Os veículos foram produzidos entre 1996 e 1999. O serviço é gratuito.
Honda diz que acidente em carro equipado com ‘airbags mortais’ matou uma pessoa no Brasil
Veja na tabela abaixo a lista de modelos envolvidos, com data de produção e numeração de chassis:
Veículos da Honda envolvidos em recall
Divulgação
Segundo a Honda, a desativação do airbag do motorista é necessária até que a peça definitiva para substituição esteja disponível. “Em caso de colisão primordialmente frontal de intensidade moderada ou severa, situação em que o acionamento do sistema de airbag é esperado, poderá haver o rompimento da estrutura do insuflador e, eventualmente, ocasionar a projeção de fragmentos metálicos no interior do veículo”.
O caso, envolvendo componentes da japonesa Takata, ficou conhecido como “airbags mortais”.
A desativação dos airbags também deve prevenir novos casos de rompimento do insuflador. Na última sexta-feira, a Honda disse que teve conhecimento da primeira morte no Brasil em decorrência de ferimentos causados pela bolsa.
Além desse caso, a fabricante disse que houve rompimento em 39 veículos, deixando 16 feridos.
Airbag da Takata pode lançar pedaços de metal contra os passageiros
REUTERS/Joe Skipper
Qual é o defeito?
A Takata revelou a falha em 2013. Desde então, somente no Brasil, mais de 2 milhões de carros, de 15 diferentes marcas, foram chamados para a troca da peça defeituosa desses airbags, chamada insuflador.
O insuflador é uma espécie de caixa metálica que abriga o gás que faz a bolsa de ar inflar. O defeito nessa peça causa uma abertura forte demais quando o airbag é acionado. Além disso, a falha gera trincas no insuflador e, com a explosão do airbag, ele se estilhaça, atirando pedaços de metal contra os ocupantes, causando ferimentos que podem ser fatais e já foram comparados a facadas.
Entenda o caso dos ‘airbags mortais’ da Takata; Brasil tem recalls