Guto Goffi arquiteta quarto álbum solo, ‘Respirar’, com inéditas, canção de Natal e música do Barão Vermelho


♪ Em fevereiro, um mês antes de a pandemia chegar ao Brasil, Guto Goffi lançou o terceiro álbum solo, C.A.O.S., surpreendendo positivamente com disco valorizado pela pegada enérgica do Bando do Bem, grupo de músicos que tocam desde 2015 com o cantor, compositor e baterista carioca.
Integrante da formação original do Barão Vermelho, banda carioca que entrou em cena em 1981 Com Cazuza (1958 – 1990) como vocalista e principal letrista, Goffi aproveitou o período de isolamento social para compor e, com farta produção autoral, o artista começou a arquitetar o quarto álbum solo, Respirar, com produção musical de Nani Dias e o mesmo Bando do Bem.
Com o mesmo time de C.A.O.S., o álbum Respirar já tem capa, criada com arte gráfica de Felipe Taborda e Augusto Erthal, mas ainda não tem data.
Capa do álbum ‘Respirar’, de Guto Goffi
Arte de Felipe Taborda e Augusto Erthal
Já com cerca de 18 inéditas músicas autorais, Goffi pretende apresentar esse repertório novo – composto por músicas que sobraram da seleção do álbum C.A.O.S. e por canções feitas ao longo deste ano de 2020, algumas sob encomenda (caso de Na onda delas, tema criado para trilha sonora de ainda inédita série de temática LGBTQIA+) – em singles que serão editados paulatinamente ao longo de 2021 para somente depois lançar o álbum Respirar. Serão duas músicas a cada bimestre.
Embora tenha idealizado o disco Respirar com repertório essencialmente inédito e autoral, Goffi decidiu regravar algumas músicas alheias. Uma delas, a canção natalina Noite feliz, abre os trabalhos com single programado para ser lançado na próxima sexta-feira, 18 de dezembro.
Noite feliz é a versão em português da natalina canção austríaca Stille nacht (Franz Gruber e Joseph Mohr, 1818), conhecida mundialmente com o titulo em inglês Silent night. A mais famosa versão brasileira de Noite feliz foi escrita por Pedro Sinzig (1876 – 1952) – frade franciscano de origem alemã que migrou para o Brasil – e apresentada em 1912.
Em janeiro, Goffi apresenta single com registro de Bilhetinho azul (1982), parceria de Roberto Frejat com Cazuza lançada no primeiro álbum do Barão Vermelho. A gravação de Bilhetinho azul por Goffi foi feita para live em homenagem a Cazuza e integrada ao repertório do vindouro álbum Respirar.
Paralelamente a esse quarto disco solo, Goffi prepara disco instrumental – também para 2021 – com o trio do qual faz parte, Bicho de Pau. Goffi conceitua o álbum Respirar como “virada de página” para sair de 2020 e entrar em 2021, “seguindo vivendo” com energias renovadas.