Grupo Beatles Cordel dá sotaque nordestino ao cancioneiro de Lennon & McCartney em álbum costurado por narrativa teatral


♪ Como o repertório dos Beatles já vem sendo apresentado com os mais variados sotaques há quase 60 anos, o traço de originalidade do álbum da banda Beatles Cordel – batizado com o nome do sexteto e programado para chegar ao mercado fonográfico em 14 de maio – transcende a transposição do cancioneiro de John Lennon (1940 – 1980) e Paul McCartney para o universo rítmico da nação musical nordestina.
A novidade do álbum Beatles Cordel reside na narrativa teatralizada que costura as 18 faixas do disco do grupo formado por Rafael Beibi (voz, zabumba, ganzá, reco-reco e cowbell), Rafa Virgulino (sanfona e triângulo), Guegué Medeiros (bateria, afoxé, djambê, pandeirola, cowbell, caixa, vassoura, efeitos vocais), Matheus Tagliatti (baixo), Alysson Salvador (viola) e Giovani Bruno (voz nas faixas 2 e 16).
Giovani Bruno é o intérprete de Seu Quité, poeta matuto que conduz a narrativa estruturada em forma de cordel e apresentada nas faixas pontuadas por locuções típicas de radinho de pilha.
Entre faixas faladas e vinhetas como o Aboio de João Eleno (gravado com a participação de Sapopemba), o álbum Beatles Cordel sintoniza no sertão nordestino músicas como All you need is love (John Lennon e Paul McCartney, 1967), Blackbird (John Lennon e Paul McCartney, 1968), Come together (John Lennon e Paul McCartney, 1969), Day tripper (John Lennon e Paul McCartney, 1965) e Help! (John Lennon e Paul McCartney, 1965).