Grupo Awurê apresenta música inédita de Teresa Cristina no primeiro EP


Quarteto carioca lança disco com repertório que ecoa a ancestralidade africana entre sambas e ijexás. ♪ Formado em janeiro de 2017, no subúrbio carioca de Madureira, o quarteto Awurê completa quatro anos de vida em 20 de janeiro de 2021, data em que lança o primeiro EP, batizado com o nome do grupo.
Com seis músicas inéditas que ecoam a ancestralidade africana, o disco de Arifan Jr., Anderson Quack, Fabíola Machado e Pedro Oliveira tem repertório pautado por gêneros musicais como o ijexá, o samba, o congo e o samba de roda, reverberando o toque catalisador dos tambores e o matricial legado africano.
A música que dá nome ao EP e ao grupo, Awurê, é parceria de Raul Di Caprio com a cantora e compositora Teresa Cristina. Awurê, a música, é ijexá que, a partir do toque do berimbau, chama a sanfona para entrar na roda.
Parceria de Khrystal com Ricardo Baya, Filó mistura samba e maracatu de Pernambuco. Parceria de Arifan Jr. com Cley Santana, Oyá oyá é ijexá que embute cantiga em saudação à orixá Iansã.
Ponto da cabocla da mata é composição de Luiz Antonio Simas que mistura a batida do congo com o toque do samba de caboclo do Rio de Janeiro. Já Pot-pourri de samba de roda – creditado a Arifan Jr., Cláudio Gamela, Daniel Delavusca e Fabíola Machado – é faixa que pisa no quintal da Bahia.
Por fim, Opaxorô, tema de Raul Di Caprio, é o ijexá que fecha o disco com saudação a Oxalá e com cânticos das cerimônias do Candomblé, registrados pelo grupo Awurê com a participação de Bangbala, o Ogan mais velho do Brasil, atualmente com 101 anos.
O nome do grupo reproduz o termo ioruba Àwúré, palavra que transmite desejo de boa sorte, bênçãos e prosperidade.
Grupo Awurê lança em 20 de janeiro EP com seis músicas
Leandro Cunha / Divulgação