Grávida de seis meses é presa após furar parede e furtar joalheria em Fortaleza

O crime ocorreu no último domingo (11). Para praticar o furto, a mulher alugou um estabelecimento vizinho à loja de jóias e quebrou a parede, com ajuda de um comparsa. Mulher grávida é usada pelo companheiro para cometer assalto em Fortaleza
Uma mulher grávida de seis meses foi presa em flagrante por roubar uma joalheria, e depois trocar o material por droga, nesta terça-feira (13). De acordo com a polícia, ela confessou o crime e foi autuada por furto qualificado, uso de documentação falsa e tráfico de drogas. A suspeita já havia cumprido pena por crimes semelhantes praticados em Fortaleza.
O crime ocorreu no último domingo (11). Para praticar o furto, a mulher alugou um estabelecimento vizinho à loja de jóias e quebrou a parede, com ajuda de um comparsa, que ela disse não conhecer. Em depoimento, ela alegou que a ação foi planejada por um companheiro, que estaria preso em uma unidade do estado. A polícia está investigando os fatos.
De acordo com o delegado Ricardo Romagnoli, da Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), após o furto, a mulher trocou todo o material por entorpecentes que, segundo ela contou em depoimento, seriam vendidos posteriormente. Na residência dela, no Bairro Maraponga, os policiais encontraram ½ kg de cocaína, e maconha, além de documentos falsos.
Ao saber da prisão da mulher, o suposto companheiro ordenou, a quem havia trocado as jóias pela droga, a devolução do material. A polícia recuperou parte dos produtos em um local indicado pelo homem.
Crime arquitetado
Ainda segundo Romagnoli, o crime foi arquitetado com antecedência. A mulher chegou a ir na loja cerca de 15 dias antes do furto, e comprar um par de brincos, para fazer um levantamento do local.
“A gente percebe que é uma pessoa que tem uma desenvoltura para isso, e dedica toda a sua energia para práticas de crimes desta natureza”, afirmou o delegado.
A suspeita é natural do Pará e foi presa em 2016 por furto qualificado e formação de quadrilha. Na época, ela se apresentou com o nome de Manuele. Quando capturada nesta terça, a suspeita se identificou como Mayara Sabrina Pereira Corrêa, sem antecedentes criminais, mas a polícia encontrou na residência dela outras identidades, com nomes de Manuele e Evânia, com os quais havia registro de crimes.

Powered by WPeMatico