Governo prorrogará presença das Forças Armadas na Amazônia Legal até abril de 2021, diz Mourão


Operação Verde Brasil visa combater desmatamento ilegal e focos de incêndio na região e tem previsão de acabar em 6 de novembro. Segundo Mourão, há recursos para nova prorrogação. O vice-presidente Hamilton Mourão, no Palácio do Planalto, ao conceder entrevista à imprensa nesta segunda (26)
Guilherme Mazui/G1
O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta segunda-feira (26) que o governo federal vai prorrogar até abril de 2021 a presença das Forças Armadas na Amazônia Legal. Mourão preside o Conselho Nacional da Amazônia.
O decreto de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, previa que a operação acabaria em julho deste ano, mas a Operação Verde Brasil foi prorrogada, e o prazo atual de vigência é até 6 de novembro.
O governo decidiu enviar militares para a região com o objetivo de fazer ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais. A operação é direcionada ao combate ao desmatamento ilegal e a focos de incêndio.
“[A operação] vai até abril, vamos prorrogar até abril”, afirmou Mourão nesta segunda-feira ao conceder entrevista a jornalistas na portaria da Vice-presidência.
Segundo Mourão, a prorrogação será acertada com o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno. Mourão disse ainda que foram alocados R$ 400 milhões para a operação e que ainda há R$ 180 milhões.
“Nós estamos com recurso, e o recurso é suficiente para chegar até abril”, declarou.
Amazônia tem 89.734 focos de calor em 2020, ultrapassando 2019
Queimadas na Amazônia em 2020
De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), as queimadas na Amazônia em 2020 já ultrapassaram o total registrado de janeiro a dezembro de 2019.
Ao todo, segundo o Inpe, foram detectados neste ano pelos satélites 89.604 focos de calor. No ano passado, foram detectados 89.176.