Governo do Estado e Volkswagen estudam fabricação de respiradores na fábrica em Resende


Pedido foi feito pelo governador do Rio, Wilson Witzel, à empresa. Produção na fábrica está parada e os colaboradores em férias coletivas até 27 de abril. Linha de produção da MAN em Resende; fábrica pode ser usada para produzir respiradores
Divulgação/MAN
O governador do estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, postou em sua conta no Twitter na noite de segunda-feira (13) que conversou com Roberto Cortes, presidente do setor de ônibus e caminhões da montadora Volkswagen, sobre a possibilidade da fábrica em Resende produzir respiradores.
Segundo Witzel, o objetivo foi discutir e analisar a produção, com apoio do estado, dos aparelhos que auxiliam pacientes diagnosticados com coronavírus.
Initial plugin text
Os respiradores são usados por profissionais da saúde em pacientes de coronavírus que estão acamados, em estados mais avançados da doença, como em leitos de UTI. Eles servem para substituir os ventiladores mecânicos comuns, que são mais caros.
“Medidas inéditas para um momento inédito, como diz Boris Johnson [primeiro-ministro do Reino Unido]”, citou Witzel, também no Twitter.
Em nota, a montadora confirmou que o presidente e CEO da Volkswagen Caminhões e Ônibus, Roberto Cortes, recebeu a ligação do governador sobre realização de um estudo para a produção de respiradores artificiais na fábrica da empresa localizada em Resende.
“O objetivo será o de colaborar com o estado do Rio de Janeiro, que se prepara para um potencial aumento da demanda por esse equipamento, causada pelo novo coronavírus”, disse a assessoria de imprensa da montadora.
Atualmente, a fábrica de veículos comerciais das marcas Volkswagen e MAN está parada e os colaboradores estão em férias coletivas até o dia 27 de abril.