Fundadora da Jazzmin’s, big band de mulheres, guitarrista e educadora Rê Montanari morre aos 59 anos


Vítima de câncer, instrumentista paulistana deixa legado que valorizou a presença feminina na música instrumental brasileira. ♪ OBITUÁRIO – Na certidão de nascimento, ela era Renata Montanari (10 de setembro de 1962 – 2 de novembro de 2021). Na vida, sobretudo entre os músicos e os alunos de violão e harmonia, ela era a Rê.
Nota desafinada deste dia de finados, a morte da violonista, guitarrista, compositora e educadora paulistana Rê Montanari – nesta terça-feira, aos 59 anos, vítima de câncer – entristeceu o universo da música instrumental brasileira, ainda abalado com a saída de cena do pianista Nelson Freire (1944 – 2021) na madrugada de ontem.
Professora de violão e harmonia na Escola de Música do Estado de São Paulo, instituição conhecida como EMESP Tom Jobim, Rê Montanari lançou em 2014 o álbum solo Entre o som e o silêncio. Contudo, a musicista era especialmente ligada a grupos.
Foi integrante e uma das fundadoras da Jazzmin’s, big band paulistana formada somente por instrumentistas mulheres. Antes, nos anos 1980, Rê Montanari integrou o grupo Kali, também formado somente por mulheres.
Em 2004, décadas depois, formou com Beto Caldas e Vinnie Colla o trio de música instrumental Samambaia. Mais recentemente, foi convidada a formar o Trio D’Alma com Cândido Serra e Ruy Saleme.
Como integrante da Avon Women Orchestra, a instrumentista se apresentou em várias cidades do Brasil, tocando com cantoras como Daniela Mercury, Leila Pinheiro, Margareth Menezes, Paula Lima, Rita Lee, Vanessa da Mata e Zélia Duncan.
Reconhecida pelas notórias habilidades como instrumentista e educadora, Renata Montanari deixa legado expressivo na cena instrumental brasileira, inclusive no que diz respeito à valorização e ampliação da presença feminina em universo musical ainda predominantemente masculino.