Fora do Boca Livre, Zé Renato lança disco com o repertório de Orlando Silva


Veja a capa do álbum ao vivo que encadeia, em 13 faixas, 15 músicas dos anos 1930 e 1940. ♪ Previsto inicialmente para ter sido lançado no fim de 2020, o álbum Zé Renato em Orlando mavioso – Sobre as interpretações de Orlando Silva chega ao mercado fonográfico na sexta-feira, 29 de janeiro, em edição digital que precede o subsequente lançamento em CD, previsto para fevereiro pelo selo Discobertas.
Com capa que expõe o cantor no palco do Centro Cultural Carioca, onde o show foi captado em junho de 2004 sem pretensão de gerar registro fonográfico, o disco ao vivo é dedicado por Zé Renato ao cartunista Lan (1925 – 2020) e ao pesquisador musical, jornalista e escritor Zuza Homem de Mello (1933 – 2020), ambos mortos no ano passado.
Antecedido em outubro pelo single com gravação do samba Preconceito (Wilson Baptista e Marino Pinto, 1941), o álbum é o primeiro disco de Zé Renato após o anúncio, em 16 de janeiro, da saída do cantor do grupo Boca Livre por divergências políticas com Maurício Maestro – assunto que vem mobilizando a mídia e as redes sociais.
Com 15 músicas dispostas em 13 faixas, o disco perpetua números do show feito por Zé Renato com roteiro inteiramente montado com músicas do repertório do cantor carioca Orlando Silva (3 de outubro de 1915 – 7 de agosto de 1978), todas arranjadas pelo próprio Zé Renato.
Além do samba Preconceito, Zé Renato dá voz ao samba Alegria (Assis Valente e Durval Maia, 1937), ao choro-canção Carinhoso (Pixinguinha, 1917 / com letra de João de Barro, 1937), à valsa Caprichos do destino (Pedro Caetano e Claudionor Cruz, 1938), ao samba Meu romance (J. Cascata, 1938), ao fox Nada além (Custódio Mesquita e Mário Lago, 1938) e aos sambas Errei, erramos (Ataulfo Alves, 1938), Curare (Bororó, 1940) e Aos pés da cruz (Zé da Zilda e Marino Pinto, 1942), entre outras músicas.