Físico argentino desaparecido há 40 anos vive nos EUA

Físico não explicou a causa do desaparecimento

Físico não explicou a causa do desaparecimento
Reprodução/Clarín

O físico argentino Antonio Manuel Gentile, considerado desaparecido há 40 anos, está vivo e permaneceu este tempo todo ao lado de seus familiares, nos Estados Unidos. As informações são do Clarín.

O Instituto Balseiro, onde Gentile estudou e se formou, reconheceu, em comunicado, que o físico estava nos Estados Unidos, embora tivesse sido dado como desaparecido desde 1977, durante a ditadura militar na Argentina.

Morre ex-militar e último presidente da ditadura na Argentina

Oficialmente, ele havia sido visto pela última vez em novembro de 1977 em um aeroporto em Nova York. Por vários anos ele foi um dos homenageados, em eventos que lembravam as vítimas do regime militar.

Após averiguações, o Instituto Balseiro, especializado em energia nuclear, reuniu cientistas da instituição para informar que tinha mantido nos últimos dias contato com Gentile.

O físico não explicou em detalhes a causa desta estranha situação. E repetiu que não gostaria de falar sobre o seu passado. Ele apenas mencionou por alto que havia um “problema” com sua irmã, Maria Estela Gentile, em solo americano.

Seu caso estava sendo inclusive denunciado pela CDHPCNEA (Comissão de Direitos Staff CNEA Humano) para a Secretaria de Direitos Humanos de Bariloche.  

Powered by WPeMatico