Filme ‘Música para morrer de amor’ segue a trilha apaixonante do melodrama pop


Gravação inédita de Helio Flanders fecha roteiro pavimentado por intervenções de Milton Nascimento, Fafá de Belém, Clarice Falcão e Tim Bernardes. ♪ A foto ao alto flagra Berenice (Denise Fraga) e Felipe (Caio Horowicz) – mãe e filho no roteiro do filme Música para morrer de amor, em cartaz desde 20 de agosto em plataformas de streaming – em cena tradutora do tom pop melodramático que pauta o longa-metragem escrito e roteirizado por Rafael Gomes.
Na cena, mãe e filho se irmanam na sofrência quando unem vozes para destilar as mágoas de Não aprendi a dizer adeus (Joel Marques, 1990), uma das mais belas canções do universo sertanejo, popularizada em escala nacional nas vozes de Leandro & Leonardo em gravação feita pela dupla em 1991.
Inspirado pela peça Música para cortar os pulsos (2009), aclamada encenação que projetou o nome de Rafael Gomes nos palcos nacionais, o filme narra os acontecimentos amorosos que originaram os três monólogos do texto teatral, aplaudido por público jovem, normalmente ausente das plateias de teatro.
Como o título do filme já sugere, a música atua como personagem que sublinha os (des)encontros do trio formado por Felipe, Isabela (Mayara Constantino) e Ricardo (Victor Mendes) na paisagem cinzenta da cidade de São Paulo (SP). Três da madrugada (Carlos Pinto e Torquato Neto, 1973), por exemplo, realça o desalento de personagem na voz de Gal Costa.
Cartaz do filme ‘Música para morrer de amor’, de Rafael Gomes
Reprodução
Entrando no clima, cantores fazem participações especiais no filme. César Lacerda e Clarice Falcão, por exemplo, são vistos cantando, nas ruas de Sampa, as respectivas músicas Isso também vai passar (2017) e Eu esqueci você (2013). Fafá de Belém interpreta Abandonada (Michael Sullivan e Paulo Sérgio Valle, 1996) no mesmo bar em que Berenice e Felipe cantam a sofrência de Leandro & Leonardo.
Autor e intérprete de Volta (2016) e Ela (2017), canções ouvidas ao longo do filme, Tim Bernardes faz figuração numa cena. Milton Nascimento canta A festa (2003), com a letra de 2018, em show que serve à ação do roteiro.
O filme Música para morrer de amor se nutre de canções de (des)amor que pautam a trilha sonora pavimentada sob a direção musical de Marcus Preto. Integradas ao roteiro, as músicas e as intervenções dos artistas – como a de Maria Gadú com Maurício Pereira na interpretação em dueto de Trovoa (2007), canção dele gravada por ela em 2015 – soam naturais e realçam a fluência pop do roteiro desse filme apaixonante.
No fecho, enquanto rolam os créditos do filme, gravação inédita de Como 2 e 2 – canção de Caetano Veloso lançada na voz de Roberto Carlos em álbum editado no mesmo ano de 1971 em que Gal Costa apresentou a música no show Fa-Tal – Gal a todo vapor, registrado em disco ao vivo – é ouvida na voz de Helio Flanders. É mimo para os espectadores desse filme jovial, tão pop quanto melodramático, feito de som e da fúria passageira da paixão.