Feriado de Ano Novo termina com 863 acidentes e 70 mortes nas rodovias do país, aponta PRF


Números são referentes ao período entre 28 de dezembro e 1º de janeiro. Em comparação ao ano anterior, houve redução no total de infrações. Operação Fim de Ano, da PRF, registra redução das mortes nas estradas piauienses.
Divulgação/PRF
A Polícia Rodoviária Federal (PRF) registrou 863 acidentes em rodovias federais durante a Operação Ano Novo, realizada de 28 de dezembro a 1º de janeiro. Neste período, 70 pessoas morreram nas estradas. Os dados foram publicados nesta quinta-feira (2).
De acordo com a PRF, o número de pessoas que perderam a vida nos acidentes de trânsito neste período do ano é menor que o registrado no ano passado. À ocasião, foram somados 75 óbitos, em números atualizados. O total de acidentes também apresentou redução, já que na virada entre 2018 e 2019 foram 914 casos.
Os casos de ultrapassagem indevidas representaram a maioria das infrações: 4.986 ao total. A falta do uso de segurança aparece em segundo lugar. Veja detalhes:
Ultrapassagem indevida:
2019: 4.986
2018: 7.370
Falta de cinto de segurança
2019: motoristas (1.627) e passageiros (2.313)
2018: 5.349
Alcoolemia:
2019: 1.343
2018: 1342
Motociclistas sem capacete
2019: 735
2018: 1.078
Uso do celular
2019: 114
2018: 187
Natal
Já no monitoramento referente ao feriado de Natal – de 21 a 25 de dezembro – a PRF contabilizou 1.134 acidentes e 97 mortos. O G1 questionou a corporação sobre o saldo no mesmo período de 2018, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.
O número de infrações no feriado natalino foi maior que o registrado no Ano Novo. Os casos de ultrapassagem e falta de cinto de segurança também estiveram no topo do ranking das autuações (veja abaixo).
5.520 ultrapassagens indevidas
907 motociclistas sem capacete
1808 motoristas e 2376 passageiros sem o cinto de segurança
241 condutores usando celular
O balanço de infrações não inclui o total de pessoas multadas por excesso de velocidade. A reportagem questionou a PRF sobre a ausência dos números, mas não obteve resposta até a última atualização desta reportagem.
Impasse sobre radares
As operações nos feriados de Natal e Ano Novo foram as primeiras nas rodovias federais referentes às festividades de final de ano após o impasse sobre uso de radares móveis nas estradas. Em agosto, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) determinou a suspensão do uso do equipamento de fiscalização de velocidade.
Contudo, no mês passado, a Justiça Federal suspendeu a decisão, alegando que o presidente invadiu competências do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). No dia 23 de dezembro, a PRF anunciou que voltou a usar os radares móveis e portáteis para fiscalizar cerca de 5 mil quilômetros de estradas no país.
Os pontos de monitoramento foram definidos após estudos técnicos que apontaram 500 trechos de 10 quilômetros de extensão cada, “com maior criticidade de acidentes de trânsito, classificados independentemente de sua causa, passíveis de serem fiscalizados com o uso de radares”, segundo comunicado.