Facebook vai alimentar mais atos de violência no mundo, diz delatora


Frances Haugen, uma ex-diretora do Facebook, deu declaração ao Parlamento britânico, nesta segunda (25). Governo do país avalia regular empresas de mídias sociais. Frances Haugen, ex-diretora do Facebook, compareceu ao Parlamento britânico, nesta segunda (25)
Henry Nicholls/Reuters
O Facebook vai fomentar mais atos violentos ao redor do mundo por causa da forma como seus algoritmos são projetados para promover conteúdo, disse a delatora Frances Haugen, ao Parlamento britânico nesta segunda-feira (25).
Haugen, uma ex-diretora do Facebook, compareceu a uma audiência do Parlamento britânico que avalia planos para regular as empresas de mídia social.
SAIBA MAIS
Quem é Frances Haugen: a engenheira que quer ‘salvar’ o Facebook
Delatora da rede social: ‘Facebook prejudica crianças e enfraquece democracia’
Ela afirmou que o Facebook considera segurança como um centro de custo e que defende uma cultura de atalhos e que “inquestionavelmente” tornou o ódio pior.
“Os eventos que estamos vendo ao redor do mundo, coisas como Mianmar e Etiópia…o ranqueamento com base em engajamento faz duas coisas: uma, prioriza e amplifica divisões e polariza conteúdo extremo, e dois, concentra isso”, disse ela.
O Facebook não comentou o assunto.
Documentos vazados: Facebook sabia da radicalização de usuários
Ex-gerente diz no Senado americano que Facebook enfraquece a democracia e é uma ameaça às crianças
Haugen afirmou este mês à subcomissão de comércio do Senado dos Estados Unidos que o Facebook projetou formas de manter os usuários dentro de sua página, mesmo se isso ia contra seu bem-estar, colocando o lucro antes dos usuários.
Zuckerberg rebateu outras acusações
O presidente-executivo do Facebook, Mark Zuckerberg, rebateu neste mês as acusações de Haugen, afirmando que “o argumento de que nós deliberadamente promovemos conteúdo que torna as pessoas nervosas para obtermos lucro é profundamente ilógico”.
Imprensa americana divulga documentos do Facebook
Imprensa americana divulga documentos vazados do Facebook