Facebook fornecerá documentos para investigação sobre privacidade


Thomas White/Reuters

O Facebook concordou em entregar documentos adicionais depois que a promotoria geral da Califórnia foi ao tribunal este mês para obrigar a empresa de mídia social a atender aos pedidos de informações em sua investigação de privacidade.

Sob uma estipulação conjunta registrada no Tribunal Superior de São Francisco nesta semana, a empresa concordou em 26 de novembro em responder a alguns dos pedidos de documentos. Também concordou com um cronograma para fornecer documentos adicionais em dezembro e janeiro.

Para os pedidos de documentos que permanecem em disputa, um juiz realizará uma audiência em 19 de fevereiro.

Will Castleberry, vice-presidente do Facebook para políticas públicas estaduais e locais, disse na quinta-feira (21) em comunicado que a empresa “cooperou extensivamente com a investigação do Estado da Califórnia, fornecendo milhares de páginas de respostas por escrito e centenas de milhares de documentos no ano passado. Aguardamos ansiosamente a cooperação contínua e a solução dos pedidos restantes do procurador-geral.”

Em julho, o Facebook concordou em pagar uma multa recorde de 5 bilhões de dólares, mais de R$ 20 bilhões, para resolver uma investigação da Comissão Federal de Comércio (FTC) sobre suas práticas de privacidade e disse que aumentará a proteção dos dados dos usuários.

O Facebook também enfrenta uma investigação em 47 Estados e territórios norte-americanos sobre preocupações com o envolvimento da empresa em práticas anticoncorrenciais, colocando os dados do consumidor em risco e elevando os preços da publicidade. Além disso, está sob investigação da FTC e do Departamento de Justiça.