Ex-secretário de educação e servidora são condenados por falsidade ideológica em de Presidente Médici, RO

Investigados devem cumprir um ano e oito meses de reclusão pelo crime de falsidade ideológica. Decisão cabe recurso. O ex-secretário de Educação de Presidente Médici (RO), região a pouco mais de 400 quilômetros de Porto Velho, Carlos José Cardoso, e a servidora pública Eliane Cardoso dos Santos, foram condenados a um ano e oito meses de reclusão pelo crime de falsidade ideológica. A decisão cabe recurso.
Segundo sentença judicial, os investigados omitiram declarações de documentos públicos. Além da condenação de reclusão, eles deverão pagar 16 dias/multa. A condenação, segundo o Ministério Público Estadual de Rondônia (MPRO), deve ser cumprida, inicialmente, em regime aberto.
O crime aconteceu entre janeiro e outubro de 2013. Conforme a sentença, Carlos José e Eliane Cardoso omitiram os documentos referentes às folhas de frequência da servidora, contratada para o cargo de professora.
A denúncia chegou às mãos da promotora de Justiça Helena Bosa. O caso foi julgado na 1 Vara Criminal de Presidente Médici. Com a medida, Carlos e Eliane não podem sair de casa entre às 23h e às 6h e nem frequentar bares e boates.
Em defesa, Carlos José Cardoso informou que vai recorrer da decisão.
“Foi no início de mandato. Na época, acabei assinando as folhas de ponto da servidora sem conhecimento que ela havia se ausentado do trabalho”, destacou o ex-secretário.
O G1 tentou contato com Eliane Cardoso, mas as ligações não foram atendidas.