Estudantes da região de Campinas criticam o Enem em meio à pandemia de coronavírus: ‘Injustiça social’


Jovens se preparam para prova em casa e muitos não têm computador e acesso à internet para facilitar os estudos. Professor dá dicas para estudar em casa. MEC avalia possibilidade de prorrogar data do Exame. Estudantes se preocupam com ENEM deste ano devido as aulas presenciais suspensas
Estudantes da região de Campinas (SP) que vão prestar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) temem um desempenho ruim na prova por conta da dificuldade de estudar, um dos reflexos da pandemia do novo coronavírus. Em famílias de baixa renda, a internet e um computador acabam não sendo opção tão viáveis. A dica é recorrer aos livros e reaprender a estudar.
“A gente vive em um país que tem muita desigualdade social. Então, fazer com que a gente faça o Enem esse ano é uma injustiça social, porque nem todo mundo tem, como eu, um celular em casa ou internet, e é muito difícil”, conta Victória Marcelo de Lima.
A jovem de Hortolândia (SP) faz cursinho popular para se preparar para o vestibular e diz que as aulas não estão acontecendo por conta da pandemia. Ela não tem computador em casa, e usa o celular para estudar. “É difícil, por conta de eu não ter tantos meios”, afirma.
12/05: Victória Lima estuda para o Enem com poucos recursos em casa por conta da pandemia do novo coronavírus
Reprodução/EPTV
As inscrições para o Enem 2020 foram abertas nesta segunda-feira (12), e as primeiras 24 horas já somaram 1,5 milhão de inscritos em todo o Brasil.
Veja aqui como se inscrever para o Enem 2020
Rafaela Souza está no terceiro ano do ensino médio e tem conseguido acompanhar aulas oferecidas gratuitamente na internet. Ela se esforça para manter, na quarentena, a rotina de sete horas de estudo por dia.
“Algumas matérias eu consigo apostilas gratuitas de alguns cursinhos, que disponibilizaram, também assisto videoaulas gratuitas na internet e de noite tenho aulas ao vivo do Estado de São Paulo”, conta.
Ela sente falta da atenção dada pelos professores e pela escola nesse período de preparação, por conta do distanciamento social.
“Eu podia trocar bastante experiências com os professores e eles também me ajudavam. E eu também podia falar com a gestão da escola. Agora, a gente ficou muito distante, então, às vezes, essa comunicação fica um pouco atrapalhada”, diz.
12/05: Rafaela Souza mora na região de Campinas e usa a internet no celular para tentar manter a rotina de estudos para a prova do Enem
Reprodução/EPTV
Adiar o Enem?
Professor de um colégio e curso preparatório, Luís Felipe Tuon afirma que adiar o Enem poderia ser uma opção, por conta dos alunos mais carentes.
“Muitos não estão conseguindo ter os conteúdos programáticos para cumprir uma prova desse nível, como é a prova do Enem, que é, tecnicamente, uma prova voltada muito mais para esse público, para ajudá-los a entrar em universidades”.
Em Brasília (DF), a possibilidade de adiamento da prova até existe, segundo apuração da EPTV, afiliada da TV Globo, junto ao Ministério da Educação (MEC) e o Inep. No entanto, essa decisão será tomada dentro de um ou dois meses.
Os dois órgãos informaram que vão reavaliar a data da prova. Ainda não há uma previsão de até quando as escolas ficarão fechadas devido à pandemia. O que se sabe, por enquanto, é que o Enem está confirmado para este ano e que o nível de dificuldade será o mesmo. Veja mais detalhes no vídeo abaixo.
Calendário de provas do ENEM é mantido e instituições fazem pedido de adiamento do exame
Dicas para estudar em casa
Para quem não tem acesso fácil a formas online de estudo, o professor de cursinho dá algumas dicas:
Buscar provas de vestibulares anteriores.
Perguntar aos professores quais temas mais caem nos vestibulares dentro de cada matéria.
Usar os livros para estudar, se não tiver acesso à internet.
Fazer resumo do conteúdo estudado em forma de um mapa mental (foto abaixo), com as ideias principais divididas em tópicos.
12/05: professor de cursinho da região de Campinas ensina a fazer um mapa mental para estudar para o vestibular
Reprodução/EPTV
Enem digital
A versão digital da prova é inédita e opcional – serão 100 mil vagas. No primeiro dia de inscrições, mais de 90% delas já foram preenchidas. A estimativa do governo é que, até 2026, o Enem seja 100% informatizado.
Para participar do exame, seja do impresso ou do digital, os alunos devem entrar no site no site https://enem.inep.gov.br/ até o dia 22 de maio e informar o número do CPF e do RG. Será criada uma senha de acesso que também permitirá verificar o cartão de confirmação e os resultados do candidato.
Além disso, é preciso ter um número de celular e um e-mail válidos para receber os comunicados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).
Coronavírus: resumo com as principais características dos testes moleculares e dos testes rápidos
Guilherme Luiz Pinheiro/Arte G1
Veja mais notícias da região no G1 Campinas