Enem 2021: faltando menos de um mês para prova, professores do DF dão dicas sobre redação e questões importantes


Prova está marcada para 21 de novembro. Educadores falam sobre como se fazer boa prova, estudar no tempo que resta e também descansar. Caderno do Enem, em imagem de arquivo
Ana Carolina Moreno/G1
O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2021 teve cerca de 3,1 milhões inscritos. Este é o menor número de candidatos desde 2005.
No Distrito Federal, 82,7 mil pessoas devem participar da prova marcada para o dia 21 de novembro. Brasília ficou em 17° lugar no total de inscrições no ranking nacional.
LEIA TAMBÉM:
REDAÇÃO: 10 dicas para tirar nota máxima
‘NOTA MIL’: Veja dicas de quem tirou nota máxima na redação do Enem
HISTÓRIA NO ENEM: Quais os 5 temas que mais ‘caem’ na prova?
Faltando menos de um mês para exame, o g1 conversou com professores do DF que dão dicas de como se preparar no tempo que resta, a rotina de estudos, o foco nas habilidades específicas do estudante e a importância de descansar. Sobre a redação, uma das partes mais importantes – e até temidas da prova – os educadores têm até um palpite para o tema.
“Se foi algo cobrado 3 anos atrás, não deve se repetir”, diz o professor Gabriel Remington. A aposta dele, neste ano, é que o tema esteja ligado ao meio ambiente, já que o assunto entrou na prova, na última vez, em 2008.
Na entrevista abaixo, os professores abordam os seguintes pontos:
Como se preparar antes da prova;
Quais temas prováveis da redação;
Como fazer a avaliação;
Importância de descansar.
Preparação
Professor de língua portuguesa e de redação, Gabriel Remington, de 31 anos, diz que, mesmo com tempo curto, a preparação por meio dos estudos ainda é importante. Na reta final, o educador aconselha que o aluno foque no desenvolvimento de habilidades – e não em conteúdos.
“Habilidade significa ter desenvolvido, ao longo do ensino médio, determinados conhecimentos e capacidades. Na língua portuguesa, uma das habilidades mais comuns é de como acontece a progressão de um texto”, diz Gabriel.
Para se preparar para a redação, Gabriel diz que o ideal é de que o estudante treine bastante. “Façam redações propostas por professores e além disso. Procurem outros temas, porque redação se melhora com treinamento, muito treinamento”.
Professor de português e redação do DF, Gabriel Remington, dá dicas para o Enem
Arquivo pessoal
O professor de Geografia, Washington Neto, de 32 anos, diz que, nesses últimos dias, uma dica importante é revisar conteúdo.
“Em menos de um mês, o aluno não vai resolver todas as matérias. O ideal é fazer o aprendizado em cima da revisão”, aponta Washington.
Segundo o educador, um bom exercício é refazer uma das provas antigas do Enem por dia. “Assim, dá para condicionar o cérebro para o formato da avaliação. “O ideal é pegar exames a partir de 2009 e 2010, que já estão adequados ao modelo atual”, diz ele.
Professor de geografia do DF, Washington Neto, dá dicas para o Enem 2021
Arquivo pessoal
E os temas da redação?
Gabriel Remington explica que o Enem trabalha com temas de redação que seguem “eixos temáticos”, divididos em “grandes áreas”, como educação, saúde e segurança. “Por exemplo, na última prova, o tema girou em torno da saúde mental”, lembra.
“Naturalmente, temos percebido que a banca responsável pelo Enem evita repetir eixos temáticos com certo prazo de distância. Se foi algo cobrado 3 anos atrás, não deve se repetir”, diz Gabriel.
A aposta dele é de que o tema deste ano seja focado em meio ambiente, já que a última vez que o assunto entrou na redação foi em 2008. Segundo o professor de língua portuguesa, dentro de meio ambiente, as temáticas que têm relevância são as seguintes:
Descarte de lixo
Crise de matrizes energéticas, como a crise hídrica
Impactos ambientais do consumo
Gabriel também cita cidadania como um eixo temático que pode ser abordado este ano. Mas alerta que, geralmente, os temas não são “óbvios”.
“Os temas normalmente envolvem o Brasil e os problemas que existem no país”, conta.
O professor Washington Neto explica que os temas normalmente são sociais e a aposta, nesta prova, é que falem sobre alguma problemática ambiental, social ou política, mas envolvendo a sociedade. O professor concorda que a questão ambiental pode ser abordada na prova, mas traz outras dicas de conteúdo como:
Educação sexual nas escolas
Controle parental
Polêmica sobre vacinas
Pedofilia na internet
O que fazer durante a prova?
Gif de caderno com folhas passando
Giphy
Os dois professores são unânimes ao indicar que o estudante deve começar a responder a prova pela parte em que ele se sente mais bem preparado. Mas não antes de checar o tema da redação.
“Não é uma metodologia de aprovação, mas aconselho começar por aquilo que você domina. Só que antes, veja o tema da redação para que o cérebro fique condicionado a fazer uma prova com olhar filtrado. Talvez até mesmo na prova apareça algum texto que vai ajudar”, diz Washington.
O professor Gabriel segue na mesma linha. “Leia o tema da redação e comece pelo que menos gasta energia. Depois de fazer o que você mais tem aptidão, faça logo a redação e, em seguida, termine a avaliação”, aconselha.
Para o professor, começar por algo que você já tem conhecimento dribla o nervosismo e dá segurança. “Também é importante pensar e planejar o que levar para comer”, diz.
Mas e o descanso?
Aluno do DF escreve em caderno
TV Globo / Reprodução
O professor Gabriel aconselha que, uma semana antes da prova, depois do aluno já ter treinado muito e se dedicado, o ideal é descansar. Para ele, uma preparação prévia e duradoura evita o famoso “branco”, que geralmente é causado por um descontrole emocional.
“Se você aprendeu, não vai acontecer o esquecimento”, diz Gabriel.
De acordo com o educador, os últimos dias são o momento para se organizar emocionalmente e relaxar. “Na semana anterior, é melhor acostumar a mente a se sentir mais tranquila e confortável. É importante desenvolver calma, afinal, o aluno já se preparou e buscou esforço”, diz ele.
Antes da prova, Gabriel também indica uma alimentação leve. Também é importante pensar no que levar para comer durante o exame.
Washington defende que o ideal é estabelecer uma rotina de estudo mas que com tempo para o lazer e para praticar exercícios físicos. “Um dia antes, o ideal é ter uma boa noite de sono, acordar um pouco mais cedo, fazer exercícios e se alimentar bem, com comidas leves”, aconselha.
Leia mais notícias sobre a região no g1 DF.