Encostou, pagou! Cartão de crédito com tecnologia NFC é confiável?

Tecnologia NFC está presente nos cartões de crédito e também em celulares

Tecnologia NFC está presente nos cartões de crédito e também em celulares
Pixabay

O NFC, sigla em inglês para Near Field Comunication, é a tecnologia que está por trás dos cartões e outros dispositivos que realizam o pagamento ao ser encostado em uma daquelas maquininhas de cartão de crédito. 

Essa forma de pagamento existe há pelos menos 10 anos no Brasil, mas há um certo receio dos consumidores e também dos lojistas de serem vítimas de um golpe.

Em um vídeo que está circulando pela internet, um comerciante alerta sobre o perigo de ter um cartão com NFC. As imagens mostram como seria simples alguém encostar uma máquina de cartão na bolsa ou na carteira de alguém para realizar uma transação não autorizada.

O riso de um golpe

“As transações com o uso do NFC são seguras. A comunicação entre a máquina e o cartão é criptografada e ainda é preciso estar a até 4 centímetros de distância para conseguir fazer o pagamento”, explica o professor Dr. Bruno Albertini, do Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais da POLI-USP.

Apesar de ter recursos de segurança para proteger o pagamento da ação de criminosos, o vídeo publicado pelo comerciante não pode ser considerado completamente falso.

“O NFC é uma tecnologia segura, mas, como outras formas de pagamento, há espaço para fraude. O problema apontado no vídeo é real e é possível fazer débitos indevidos aproximando uma máquina de um cartão”, afirma Fabio Assolini, pesquisador de Segurança Sênior da Kaspersky, empresa de segurança digital.

No Brasil, somente as compras até R$ 50 não precisam de senha para serem confirmadas. Compras acima desse valor precisam ser liberadas com a senha de quatro dígitos do cartão. Esse limite pode gerar uma certa desconfiança, mas também é visto como um item de conforto e agilidade.

“Seria possível aproveitar desse limite para roubar até R$ 50 de uma vítima, mas essa fraude não seria feita em grande escala. O golpista teria de encostar a máquina em vários cartões, um de cada vez, e debitar o valor máximo estabelecido. Isso inibe um golpe muito grande” explica Assolini.

Esse limite de valor para pagamento por aproximação pode variar de país para país. Nos EUA, é possível pagar uma compra de até 100 dólares sem precisar de senha. No Reino Unido, esse limite é de 30 libras.

“Não necessariamente essa é uma falha de segurança. Nos EUA, não há necessidade de uso de chip e senha e isso não significa que é menos seguro. Toda transação passa por um monitoramento em tempo real e por um sistema para detectar um comportamento não esperado e alertar ao banco “, diz Alessandro Rabelo, diretor executivo de soluções da Visa do Brasil.

O professor da POLI-USP também reconhece que em locais de grande aglomeração de pessoas seria possível um criminoso agir como sugere o vídeo do comerciante. No entanto, acredita que é mais fácil alguém ser furtado nessa situação do que ser vítima de uma máquina de cartão. 

“A tecnologia por aproximação já é adotada em diversos locais do mundo, com os mesmos parâmetros de segurança exigidos no Brasil, e chega a representar mais de 90% dos pagamentos eletrônicos em determinados países. Mesmo com a crescente popularização, não há qualquer registro no mundo que indique aumento de golpes relacionados a pagamentos dessa natureza” afirma a Associação Brasileira das Empresas de Cartão de Crédito e Serviços (Abecs).

NFC no celular

Celulares podem ser usados como cartão de crédito, mas precisam estar desbloqueados

Celulares podem ser usados como cartão de crédito, mas precisam estar desbloqueados
Pixabay

Além dos cartões de crédito, os aparelhos celulares também contam com o NFC para pagar compras. O usuário precisa cadastrar um cartão de crédito válido no aparelho para não precisar mais tirar a carteira do bolso da calça ou da bolsa.

 Mesmo que o valor limite de R$ 50 tenha sido estabelecido, no caso dos smartphones é impossível fazer a transação com a tela bloqueada.

Ou seja, antes de encostrar o aparelho na maquininha, é preciso usar o PIN, a digital, a íris ou o reconhecimento facial para habilitar o celular e acessar o recurso. Essas barreiras de segurança podem impedir a aplicação do golpe apontado pelo comerciante.

Proteção extra

Carteiras próprias para cartões com NFC podem ajudar a evitar golpes

Carteiras próprias para cartões com NFC podem ajudar a evitar golpes
Pixabay

Os consumidores mais desconfiados ainda podem usar uma barreira extra para evitar golpes.

Existem no mercado carteiras próprias para guardar cartões com NFC para impedir golpes como aquele denunciado no vídeo. O material usado na fabricação funciona como uma blindagem para impedir a comunicação com qualquer outro dispositivo.

Quem tiver mais de um cartão de crédito com NFC também pode dificultar a ação de golpistas ao levar todos juntos. Segundo o professor Dr. Bruno Albertini, da POLI-USP, quando a máquina de cartão identifica mais de um sinal de cartão, a operação é cancelada.

Além de criar barreira contra o sinal, também é importante evitar comportamentos de risco. O diretor executivo da Visa do Brasil, Alessandro Rabelo, explica que as orientações de segurança para evitar golpes são as mesmas de um cartão convencional. “Use somente em locais confiáveis, verifique se os sites e os apps são verdadeiros e nunca fique distante do cartão.”