Emissora cancela transmissão do Globo de Ouro 2022 nos EUA após críticas sobre falta de diversidade


NBC tem contrato com organização do evento até 2026. Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood é criticada por não ter negros entre seus membros. NBC era a emissora oficial do Globo de Ouro nos Estados Unidos
Robyn BECK / AFP
A emissora americana NBC anunciou nesta segunda-feira (10) que cancelou a transmissão do Globo de Ouro de 2022. O canal, um dos maiores dos Estados Unidos, tem contrato com os organizadores da premiação até 2026.
A decisão acontece após a Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA, na sigla em inglês) ser duramente criticada por não ter nenhum membro negro.
Ainda nesta segunda, a Warnermedia, dona de estúdios como Warner Bros. e canais como HBO, se juntou a Netflix e Amazon Studios em um boicote a eventos da organização para pedir mudanças na entidade.
“Continuamos a acreditar que a HFPA está comprometida a uma reforma significativa”, afirmou a NBC em um comunicado.
“No entanto, mudança dessa magnitude leva tempo e trabalho, e sentimos fortemente que a HFPA precisa de tempo para fazer isso direito. Assim sendo, a NBC não vai transmitir o Globo de Ouro de 2022. Presumindo que a organização execute seu plano, temos a esperança de estar em uma posição para transmitir o evento em janeiro de 2023.”
A HFPA ainda não se posicionou sobre a decisão, então não está claro se a premiação de 2022 ainda vai acontecer.
Reformas
Na quinta-feira (6), a HFPA aprovou de forma esmagadora um pacote de reforma que pede o aumento do número de membros em 50% para incluir mais jornalistas negros e o levantamento dos requisitos rígidos e pouco claros sobre quem é finalmente admitido na organização.
O Globo de Ouro é a segunda premiação mais importante de Hollywood, atrás apenas do Oscar, mas seu futuro foi questionado por ameaças de boicote devido a algumas controvérsias.
O ex-presidente da associação Philip Berk foi demitido em abril por enviar um e-mail chamando a Black Lives Matter de “movimento de ódio”, e dois consultores contratados para lidar com as questões de diversidade renunciaram devido à falta de progressos.
Embora a maioria dos membros do HFPA trabalhe regularmente para veículos de comunicação bem conhecidos, a exclusão de inúmeros jornalistas de boa fé está sob apuração.
E, de forma mais geral, o histórico da organização de ignorar filmes e programas de televisão dirigidos por negros e minorias no Globo é frequentemente criticado.