Emicida produz disco para Alaíde Costa com Marcus Preto


Compositores como Francis Hime, Guinga, Joyce Moreno e Ivan Lins já mandaram melodias para o álbum, cujo repertório inédito deverá incluir parcerias da cantora com Nando Reis e com o próprio Emicida. ♪ Cantora carioca associada à bossa nova, Alaíde Costa tem o caminho cruzado com o de Emicida – voz proeminente do universo do hip hop brasileiro – em álbum arquitetado por Marcus Preto em sintonia com a ideia do rapper paulistano de produzir um álbum para essa emblemática artista que completa 85 anos em dezembro.
O projeto do disco está em andamento há menos de um mês. É fruto da emoção que a live em que Alaíde cantou o repertório do compositor carioca Johnny Alf (1929 – 2010) – apresentada em 13 de agosto – causou em Emicida. Encantamento compartilhado por Preto.
Imbuídos da mesma ideia de produzir um álbum à altura do histórico da cantora, Emicida e Preto contataram Alaíde através do produtor da artista, Thiago Marques Luiz, e expuseram o projeto do disco, obtendo o aval imediato da cantora.
Com a adesão de Alaíde, Preto foi através de repertório inédito, solicitado a grandes compositores da MPB. A ideia é que Emicida escreva a maior parte das letras dessas músicas. Francis Hime, Guinga, Ivan Lins, Joyce Moreno e Marcos Valle já mandaram melodias.
Existe a perspectiva de que Alaíde – que também é compositora – faça uma música em parceria com Emicida. Uma parceria de Alaíde com Nando Reis também está prevista nesse repertório essencialmente inédito.
Ainda não há previsão de gravação e edição do disco, mas, em que pese o isolamento social imposto pela pandemia do covid-19, o projeto está tomando forma com rapidez.