Em homenagem a Paulo Gustavo, Globo exibe ‘Minha Mãe é Uma Peça 3’ nesta quarta-feira (5)


Ator morreu nesta terça-feira (4) vítima de Covid-19. No domingo, horas após acordar e interagir com o marido, o ator sofreu uma embolia, da qual não conseguiu se recuperar. Paulo Gustavo interpreta a personagem Dona Hermínia
Globo/Victor Pollak
Em homenagem a Paulo Gustavo, a Globo vai exibir nesta quarta-feira (5) o filme “Minha Mãe é Uma Peça 3” no Cinema Especial. O ator morreu aos 42 anos, nesta terça-feira (4), vítima de Covid-19.
A exibição do terceiro filme da saga de Dona Hermínia acontece logo após a novela “Império”.
Foi com o monólogo ‘Minha Mãe é Uma Peça’ que o humorista se tornou conhecido do grande público. O espetáculo teatral ficou mais de dez anos em cartaz e originou um longa-metragem com o mesmo título em 2013, que logo se tornou o filme mais assistido do ano no Brasil.
O sucesso deu início à franquia de maior êxito do cinema brasileiro. “Minha Mãe é Uma Peça 3”, a maior bilheteria da história do cinema nacional, contou com mais de 11,6 milhões de espectadores.
Paulo Gustavo conquistou o Brasil com humor acessível e fez história com ‘Minha mãe é uma peça’
No terceiro e último filme da franquia, Dona Hermínia (Paulo Gustavo) precisa encarar muitas mudanças em sua vida. A filha Marcelina (Mariana Xavier) engravida do namorado e o filho Juliano (Rodrigo Pandolfo) anuncia que vai se casar com Tiago (Lucas Cordeiro).
Como se não bastasse, Carlos Alberto (Herson Capri), seu ex-marido com quem vive às turras, se muda para o apartamento vizinho ao seu. Perturbada com essas questões, Dona Hermínia ainda tem de lidar com Ana (Stella Maria Rodrigues), a sogra esnobe de Juliano. A dona de casa acaba tendo um ‘piripaque’ e vai passear em Los Angeles para relaxar e se redescobrir.
FOTOS: a carreira e da vida
VÍDEOS: a mãe como inspiração
REPERCUSSÃO: famosos e artistas lamentam
‘MINHA MÃE É UMA PEÇA’: como o ator conquistou o Brasil
TRAJETÓRIA: comediante bateu recordes nos últimos anos
LINHA DO TEMPO: brilhou no teatro, na TV e no cinema
‘Minha mãe é uma peça 3’ já é a maior bilheteria do cinema nacional