Em cena há 30 anos, Rogerio Skylab conclui trilogia de álbuns sobre o universo com a edição de ‘Caos e Cosmos’


Rogério Skylab
Reprodução / Twitter Rogério Skylab
♪ Em cena desde 1991, Rogerio Skylab celebra 30 anos de carreira em 2021 – ou 30 anos de “lápide”, como o artista ironizou no subtítulo do DVD Trilogia dos Carnavais (2016) em alusão ao fato de transitar pelo dark side da música – com a conclusão de trilogia de álbuns sobre o Cosmos.
Desmembrado em três volumes, o ainda inédito último álbum da trilogia, Caos e Cosmos, totaliza 18 faixas e começa a ser apresentado em setembro. Antes, Skylab – persona artística do cantor, compositor, poeta e escritor carioca Rogerio Tolomei Teixeira – joga na rede Cantos de Maldoror, primeiro single do álbum Caos e Cosmos.
Capa dos álbuns ‘Cosmos’ e ‘Os Cosmonautas’, de Rogério Skylab
Divulgação
Sucedendo os álbuns Cosmos (2020) e Os Cosmonautas (2020), lançados em outubro e em dezembro do ano passado, respectivamente, Caos e Cosmos reúne músicas como Quem será que ele é? e Ritual.
Gravado com engenharia de som de Rodrigo Campello, em estúdio de Niterói (RJ), o álbum tem os toques dos músicos Thiago Martins (violão e guitarra) e Yves Aworet (baixo) – ambos já habituados a trabalhar com Skylab – além dos sopros de Humberto Araújo, captados em Portugal. O repertório do álbum Caos e Cosmos foi inteiramente composto durante a pandemia, entre março e junho de 2020.
Capa do single ‘Cantos de Maldoror’, de Rogerio Skylab
Divulgação