Em 12 estados e no DF, subutilização dos trabalhadores é a maior em sete anos

No Piauí, Maranhão e Bahia, subutilização da mão de obra passa dos 40%. Em 12 estados e no Distrito Federal, a taxa de subutilização dos trabalhadores bateu recorde no primeiro trimestre, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nesses locais, a taxa foi a maior registrada nos últimos sete anos.
Desemprego cresce em 14 das 27 unidades da federação no 1º trimestre, diz IBGE
5,2 milhões de desempregados procuram trabalho há mais de 1 ano, aponta IBGE
Em todo o país, esse grupo – que reúne os desocupados, os subocupados com menos de 40 horas semanais e uma parcela de pessoas disponíveis para trabalhar, mas que não conseguem procurar emprego por motivos diversos – somou 28,3 milhões de pessoas, o equivalente a 25% da força de trabalho nacional.
Os piores cenários foram encontrados no Piauí e no Maranhão, onde a subutilização da força de trabalho ficou em 41,6% e em 41,1%, respectivamente. Em outros quatro estados, essa taxa também ficou acima da registrada no país: Acre (35%), Paraíba (34,3%), Ceará (31,9%) e Amazonas (29,2%).
Em número absoluto de trabalhadores, as maiores populações de subutilizados foram registradas na Bahia (3,3 milhões de pessoas), Minas Gerais (2,9 milhões) e Rio de Janeiro (1,8 milhão).