Eis 80 gravações de Ney Matogrosso que justificam a grandeza do cantor


♪ ESPECIAL NEY MATOGROSSO 80 ANOS – Iniciada há 50 anos com a edição de EP que apresentou duas das três músicas gravadas pelo então ainda desconhecido Ney Matogrosso para a trilha sonora do filme Pra quem fica…tchau (1971), A estrada azul e Tema de Maria, a discografia do cantor sul mato-grossense é das mais interessantes e coerentes da música brasileira.
A rigor, Ney lançou poucas músicas na carreira solo iniciada em 1975, com destaque para Corsário (João Bosco e Aldir Blanc) e Dama do cassino (Caetano Veloso, 1988), além de composições de Rita Lee, mas quase sempre imprimiu a marca como intérprete nas composições a que deu a singular voz de contralto de timbre andrógino.
Essa discografia solo já contabiliza 35 álbuns e ganha um 36º titulo em novembro, Nu com a minha música, disco antecedido por EP lançado neste domingo, 1º de agosto de 2021, dia do 80º aniversário de Ney Matogrosso.
♪ Para celebrar os 80 anos de Ney Matogrosso, o Blog do Mauro Ferreira elege 80 expressivas gravações da obra fonográfica do cantor.
Eis, na ordem da discografia do artista, as 80 músicas com os respectivos compositores e o ano em que foi gravada por Ney Matogrosso:
1. Sangue latino (João Ricardo e Paulinho Mendonça, 1973) – com Secos & Molhados
2. O vira (João Ricardo e Luhli, 1973) – com Secos & Molhados
3. Rosa de Hiroshima (Gerson Conrad sobre poema de Vinicius de Moraes, 1973) – com Secos & Molhados
4. Fala (João Ricardo e Luhli, 1973) – com Secos & Molhados
5. Tercer mundo (Júlio Cortázar sobre poema de Gerson Conrad, 1974) – com Secos & Molhados
6. Flores astrais (João Ricardo e João Apolinário, 1974) – com Secos & Molhados
7. Corsário (João Bosco e Aldir Blanc, 1975)
8. América do Sul (Paulo Machado, 1975)
9. As ilhas (Astor Piazzolla e Geraldo Carneiro, 1975)
10. Açúcar candy (Sueli Costa e Tite de Lemos, 1975)
11. Bandido corazón (Rita Lee, 1976)
12. Mulheres de Atenas (Chico Buarque e Augusto Boal, 1976)
13. Da cor do pecado (Bororó, 1977)
14. San Vicente (Milton Nascimento e Fernando Brant, 1977)
15. Bandolero (Luhli e Lucina, 1978)
16. Mal necessário (Mauro Kwitko, 1978)
17. Não existe pecado ao sul do Equador (Chico Buarque e Ruy Guerra, 1973)
18. Seu tipo (Eduardo Dussek e Luiz Carlos Góes, 1979)
19. Ardente (Joyce Moreno, 1979)
20. Tem gente com fome (João Ricardo sobre poema de Solano Trindade, 1979)
21. Sujeito estranho (Ney Matogrosso, 1980)
22. Homem com H (Antonio Barros, 1981)
23. Viajante (Tereza Tinoco, 1981)
24. Amor objeto (Rita Lee e Roberto de Carvalho, 1981)
25. Vida, vida (Moraes Moreira, Zeca Barreto e Guilherme Maia, 1981)
26. Folia no matagal (Eduardo Dussek e Luiz Carlos Góes, 1981)
27. Por debaixo dos panos (Cecéu, 1982)
28. Uai, uai (Rita Lee e Roberto de Carvalho, 1982) – com Rita Lee
29. Tanto amar (Chico Buarque, 1982)
30. Pro dia nascer feliz (Roberto Frejat e Cazuza, 1983)
31. Vereda tropical (Gonzalo Curiel, 1984)
32. Mente mente (Robson Borba, 1986)
33. Balada do louco (Arnaldo Baptista e Rita Lee, 1986)
34. Tristeza do Jeca (Angelino de Oliveira, 1987)
35. Dora (Dorival Caymmi, 1987)
36. Dama do cassino (Ney Matogrosso, 1988)
37. O beco (Herbert Vianna e Bi Ribeiro, 1989)
38. Modinha (Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes, 1990) – com Raphael Rabello
39. No rancho fundo (Ary Barroso e Lamartine Babo, 1990) – com Raphael Rabello
40. Três apitos (Noel Rosa, 1990) – com Raphael Rabello
41. Autonomia (Cartola, 1990) – com Raphael Rabello
42. FM rebeldia (Alceu Valença, 1993) – com Aquarela Carioca
43. Fruta boa (Milton Nascimento e Fernando Brant, 1993) – com Aquarela Carioca
44. Pavão Mysteriozo (Ednardo, 1993) – com Aquarela Carioca
45. As aparências enganam (Tunai e Sérgio Natureza, 1993) – com Aquarela Carioca
46. Estava escrito (Lourival Faissal, 1994)
47. Escuta (Ivon Curi, 1994)
48. Nem eu (Dorival Caymmi, 1994)
49. Amendoim torradinho (Henrique Beltrão, 1994)
50. Só vives pra lua (Othon Russo e Ricardo Galeno, 1994) – com Angela Maria
51. Até o fim (Chico Buarque, 1996) – com Chico Buarque
52. Roda viva (Chico Buarque, 1996)
53. Construção (Chico Buarque, 1996)
54. O cair da tarde (Heitor Villa-Lobos e Dora Vasconcelos, 1997)
55. Tema de amor de Gabriela (Antonio Carlos Jobim, 1997)
56. O trenzinho do caipira (Heitor Villa-Lobos e Ferreira Gullar, 1997)
57. Veleiro (Heitor Villa-Lobos e Dora Vasconcelos, 1997)
58. Poema (Roberto Frejat e Cazuza, 1998)
59. Novamente (Fred Martins e Alexandre Lemos, 1998)
60. Miséria no Japão (Pedro Luís, 1998)
61. A balada do cachorro louco (Lenine, Lula Queiroga e Chico Neves, 1999)
62. Bambo de bambu (Almirante e Valdo de Abreu, 2001)
63. Adeus, batucada (Synval Silva, 2001)
64. Maria boa (Assis Valente, 2001)
65. Cordas de aço (Cartola, 2002)
66. O mundo é um moinho (Cartola, 2002)
67. Tive sim (Cartola, 2002)
68. Basta de clamares inocência (Cartola, 2003)
69. Noite severina (Lula Queiroga e Pedro Luís, 2004) – com Pedro Luís e a Parede
70. A ordem é samba (Jackson do Pandeiro e Severino Ramos, 2004) – com Pedro Luís e a Parede
71. Canto em qualquer canto (Itamar Assumpção e Ná Ozzetti, 2006)
72. Inclassificáveis (Arnaldo Antunes, 2008)
73. Um pouco de calor (Dan Nakagawa, 2008)
74. Tango pra Teresa (Jair Amorim e Evaldo Gouveia, 2009)
75. A bela e a fera (Edu Lobo e Chico Buarque, 2009)
76. Incêndio (Pedro Luís, 2013)
77. Astronauta lírico (Vitor Ramil, 2014)
78. Eu quero é botar meu bloco na rua (Sérgio Sampaio, 2019)
79. Como dois e dois (Caetano Veloso, 2019)
80. O unicornio (Silvio Rodríguez, 2021)