Eicma 2020, o Salão de Milão das motos, é cancelado por causa do coronavírus


Principal evento de motocicletas do mundo, a feira terá nova edição apenas em novembro de 2021. G1 foi à edição 2019; relembre as principais novidades. Salão de Milão 2019
Divulgação/Courtesy EICMA
O Salão de Milão 2020, conhecido como Eicma, foi cancelado por causa do coronavírus. Maior e mais importante evento de motos, a feira era uma das únicas do setor de veículos que ainda não havia sido oficialmente cancelada.
Além do Eicma, o Salão de Colônia (Intermot) também teve sua edição do ano cortada. Os salões de Genebra, Detroit, Nova York e Paris foram outros que não serão realizados em 2020 por causa da pandemia.
Previsto para entre 3 e 8 de novembro de 2020, o Salão de Milão terá sua 78ª edição entre 9 e 14 de novembro de 2021. “O Salão de 2021 terá um grande valor simbólico e esperamos que possa contribuir para fazer com que os fãs e todo o setor de duas rodas esqueçam essa situação difícil e excepcional”, disse Pietro Meda, presidente do conselho de administração do Eicma.
Em 2019, o G1 compareceu ao Salão de Milão; relembre abaixo os destaques:
BMW F 900 R
Salão de Milão 2019: BMW lança motos e anuncia ‘rival da Harley’
Antes do lançamento, a nova F 900 R já havia aparecido em registro de patente no Brasil, mas somente no Eicma 2019 seus detalhes técnicos foram revelados.
O motor se baseia no da F 850 GS, mas ficou maior, passando de 853 cc para 895 cc. Com dois cilindros, ele rende 105 cavalos de potência e 9,4 kgfm de torque, e também é utilizado na versão “aventureira” F 900 XR. Na F 850 GS, a potência é de 95 cavalos na Europa e de 80 cavalos no Brasil.
Veja a cobertura completa do Salão de Milão 2019
O maior evento do setor em FOTOS
Harley-Davidson Pan America
Harley-Davidson Pan America
Rafael Miotto/G1
A Pan America pode ser chamada de “Harley para a terra”. A novidade traz um motorzão V2 de 1250 cc que passa de 145 cavalos de potência.
Além disso, tem pneus de uso misto e uma posição de guiar mais alta. Sua chegada foi confirmada para o Brasil até 2021.
Harley-Davidson Bronx
Harley-Davidson Bronx
Rafael Miotto/G1
Assim como a Pan America, a Bronx é uma proposta diferente da Harley – no caso, uma naked. Segundo a fabricante, as duas motos foram desenvolvidas do zero.
A Bronx traz motor de 975 cc e mais de 115 cv. E, da mesma forma que a Pan America, a novidade também foi confirmada para o Brasil. O prazo de chegada é o mesmo, 2021.
BMW R18
BMW R18 Concept
Divulgação
Apresentada como um conceito no Salão de Milão, a R18 teve a versão definitiva apresentada em 2020. Ela tem a missão de concorrer com os modelos da Harley-Davidson.
Yamaha MT-03
Yamaha MT-03
Rafael Miotto/G1
A nova MT-03 surgiu em Milão chamando atenção pela grande mudança visual, principalmente no farol dianteiro. A estética que divide opiniões é destaque no estande da marca no Eicma.
Tracer 700
Yamaha aposta em motos que parecem robôs no Salão de Milão
O modelo estradeiro da Yamaha, baseado na MT-07, ganhou novo visual. A Tracer 700 agora tem farol dianteiro de LED, remodelado.
A parte mecânica também evoluiu. O motor teve ajustes, tanto na parte de admissão como de exaustão, e promete uma melhor entrega de potência. As suspensões ganharam novo acerto, e a marca também realizou alterações em sua ergonomia.
Ducati
Streetfighter V4
Ducati Streetfigther V4 S
Divulgação
Uma naked com motor derivado da MotoGP. Essa é uma boa definição para a nova Streetfighter V4. Com um visual bem radical, a Streetfighter possui as versões V4 e V4 S. Seu motor chega a 208 cavalos de potência.
Honda
CBR 1000 RR-R
Honda CBR 1000 RR-R é lançada com 217 cavalos de potência
A nova Fireblade CBR 1000 RR-R é uma evolução da CBR 1000 RR. Traz novo visual, além de um chassi completamente renovado. O modelo foi totalmente renovado e carrega tecnologia derivada da MotoGP em seu motor, utilizando tecnologia de baixa fricção interna. A potência é de 217 cv.
Isso coloca a CBR 1000 RR-R na briga com as principais esportivas da atualidade, como Ducati Panigale V4 e BMW S 1000 RR.
Africa Twin 1100
Honda Africa Twin 1100
Rafael Miotto/G1
A nova geração da Africa Twin foi apresentada em Milão. Seu motor agora tem 1100 cc, e entrega 102 cv, contra 95 cv da versão anterior. Além do aumento na potência, houve redução de 5 kg no peso total da moto. Ainda há opção de câmbio automático DCT.
Falando sobre tecnologia, a Africa Twin ganhou um novo painel, que traz conectividade Apple CarPlay, além de exibir informações de sistemas da moto, como o modo de condução.
Moto da Aston Martin
Aston Martin lança sua primeira moto por 108 mil euros
Initial plugin text