Eduardo Gisi cruza sambas do Rio de Janeiro e de Chapecó em EP avalizado por Diogo Nogueira


Também enaltecido por Hermínio Bello de Carvalho, em texto escrito para o encarte, disco apresenta seis músicas do compositor catarinense nas vozes de cantores das duas cidades. ♪ O título do EP que Eduardo Gisi lançará entre o fim de junho e o início de julho, Desbravador ao Redentor, une as duas cidades – Chapecó (SP) e Rio de Janeiro (RJ) – pelas quais o compositor e músico catarinense transita no disco e na vida.
Redentor é o Cristo que abençoa a cidade natal do samba (em maternidade dividida com a Bahia). O desbravador é o monumento criado pelo artista plástico Paulo de Siqueira e exposto no centro de Chapecó (SC) como tributo ao povo da cidade natal de Gisi.
Previsto para ser editado em CD, com encarte que trará textos avalistas de Diogo Nogueira e Hermínio Bello de Carvalho, o EP Desbravador ao Redentor apresenta seis sambas de autoria de Gisi, interpretados por seis solistas diferentes.
Três – Eliz Bueno, Márcio Pazin e Thiago Cinti – são vozes do cenário musical chapecoense. Os outros três intérpretes – Elisa Addor, Makley Matos e Ronaldo Gonçalves – atuam na cena carioca. Todos os seis sambas foram arranjados por Rafael Mallmith, produtor e diretor musical do EP.
O disco abre com Festa brasileira, samba de Gisi com Morgado gravado por Eliz Bueno. Na sequência, Samba de luz – parceria de Eduardo Gisi com Léo Pereira – é iluminado pela voz de Elisa Addor. Coração insatisfeito bate na frequência da voz de Thiago Cinti. Já o samba Nas matas e nos rituais, composição de Gisi com Rogério Lessa, é desbravado por Ronaldo Gonçalves. Márcio Pazin solta a voz em Cadeado na porta. Já Sublime Chapecó ganha registro de Makley Matos.