Ebola volta a ser considerado emergência internacional

O surto de ebola na República Democrática do Congo (RDC) foi considerado mais uma vez emergência de saúde pública internacional pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

A declaração ocorreu após o país ter confirmado casos de ebola na cidade de Goma, conhecida por ser um eixo para transportação ao leste.

Apesar do surto ter sido noticiado no ano passo, a OMS apenas anunciou emergência devido à grande população da cidade (mais de 2 milhões de habitantes) e por sua fronteira com Ruanda.

Isso porque um pastor foi diagnosticado com ebola em Goma após chegar de ônibus da cidade de Bumbo. Autoridades locais anunciaram que todos os demais passageiros já foram vacinados contra a doença.

Mais de 1.600 mortes já foram registradas desde agosto de 2018 no país – o segundo maior surto de ebola da história. O maior caso registrado ocorreu entre 2014 e 2016, com mais de 11 mil pessoas falecidas na África Ocidental.

Surto de ebola na RDC

Apesar do surto ter aparecido há cerca de um ano na República Democrática do Congo (RDC), representantes da OMS alegaram que não o consideraram uma emergência internacional antes por três motivos.

Primeiro porque não havia uma alta chance de propagação da doença; segundo porque a medida não traria ações significativas de combate ao vírus; e também pelo medo da infestação, que poderia gerar fechamento de fronteiras.

Com a mudança de posicionamento, a OMS recomenda que autoridades do mundo todo trabalhem em conjunto com agências de viagens e companhias áreas para regras mais rígidas a deslocamentos internacionais.

Solicita também que países vizinhos à RDC ofereçam vacinas e mapeiem o fluxo de seus cidadãos. Além disso, pedem para que as fronteiras entre nações não sejam interrompidas.

O que é ebola

O ebola é uma doença com taxa de mortalidade de até 90%, originada por um vírus de mesmo nome e que causa febre hemorrágica, com sangramentos em órgãos internos.

O vírus ebola é contraído por meio de contato direto com fluidos corporais de uma pessoa ou animal infectado (como chimpanzés, morcegos e antílopes). Os fluidos incluem: sangue, saliva, urina, fezes, vômito e sêmen. Por isso, o ebola é considerado uma DST (Doença Sexualmente Transmissível).

Sintomas

Inicialmente o ebola pode causar sintomas como:

Febre
Fraqueza
Dores musculares
Dor de garganta
Dor de cabeça

Com a evolução da doença, demais sintomas podem surgir:

Diarreia
Vômito
Sangramento interno e externo (como sangue saindo do nariz, olhos, boca, orelha e ânus)

Prevenção e tratamento

Algumas ações podem auxiliar a prevenção do ebola.

Evite áreas de surtos da doença
Lave as mãos com frequência
Evite contato com pessoas e animais infectados
Mantenha-se hidratado

Não há cura para o ebola. Contudo, os tratamentos disponíveis para amenizar os sintomas são:

Medicamentos na veia
Medicamentos para redução da dor
Transfusão de sangue
Oxigenoterapia

Mais sobre outras DSTs

Veja como se prevenir de outras DSTs além do ebola

Fique de olho em sintomas que indicam DSTs e passam despercebidos

Esclareça 10 dúvidas sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs)